Translate

terça-feira, 28 de julho de 2015

UM AMIGO MEU MUITO CRITERIOSO

Na semana passada, andando por ruas de uma cidade próxima, um amigo a quem muito respeito me encontrou e disse: "Paulão você esqueceu de publicar esta" e me entregou o documento abaixo.

O meu amigo é muito criterioso.


DOADORES DE CAMPANHA POLÍTICA

Leitora deste Blog pergunta se as pessoas abaixo foram doadores para a campanha do deputado e hoje secretário de Governo Odair Cunha. Respondo que tudo indica que sim. Quem conhecer os citados favor confirmar para a leitora



CESSAO DE AUTOMOVEL PARA USO NA CAMPANHA· HYUNDAI· HB20· 2013/2014 · PLACA:OWM 

CESSAO DE CONSULTORIA JURIDICA DE 10/07 A 09/08

Weslei Costa mostra esgoto em águas em Três Corações, reforçando postagem abaixo!

TRÊS CORAÇÕES - DO LEITOR: VÁRIOS PONTOS DO RIO VERDE, ONDE O ESGOTO É DESPEJADO. SALVE A COPASA QUE COBRA SEM PRESTAR O SERVIÇO


Na lógica de Dilma, Lava Jato é culpa de índios

A hipocrisia é uma característica muito comum dos governos em apuros. Mas Dilma Rousseff exagera. Quando declarou, a portas fechadas, que a Lava Jato derrubou um ponto percentual do PIB, a presidente deixou de mencionar que a operação é uma reação da PF e da Procuradoria à roubalheira que vicejou na estatal durante os 13 anos de governos petistas.

Operação Lava Jato da PF194 fotos

194 / 194
28.jul.2015 - O presidente licenciado da Eletronuclear, Othon Luiz Pinheiro da Silva, preso nesta terça-feira, recebeu R$ 4,5 milhões em propinas pagas por empreiteiras investigadas pela operação Lava Jato, segundo o procurador da República Athayde Ribeiro Costa. A declaração foi feita durante entrevista coletiva realizada em Curitiba após a deflagração da 16ª fase da operação Lava Jato Leia mais Janine Moraes - 6.mai.2010/Câmara dos Deputados

Quando Lula governou o país, não hesitou em levar a Petrobras ao balcão. Decerto pensou que, sob o patrocínio de PT, PMDB e PP, as diretorias e subsidiárias da estatal seriam geridas sob critérios tecnicamente impecáveis. Mas o que se poderia esperar de prepostos de Renans e Collors senão gestões indignas?
Pelo menos R$ 7,5 milhões em verbas sujas extraídas da Petrobras foram parar na caixa registradora da campanha presidencial de Dilma. A presidente diz que seu oponente Aécio Neves bebeu da mesma fonte. E se declara chocada com a suposição de que o dinheiro possa não ser legal.
Considerando-se o pensamento cartesiano de Dilma, ela deve achar que a Lava Jato é culpa dos índios, que não puseram os portugueses para correr naquele fatídico 22 de abril. Num Brasil habitado exclusivamente por índios haveria vantagens e desvantagens. A desvantagem é que você, caro leitor, não existiria. Em compensação, também não existiriam a Dilma e seus raciocínios tortos.
(Josias de Souza)

‘No Brasil, eu não estaria preso’ diz Marin a advogados sobre processo


Comento ao final
Perrone
“Se esse processo fosse no Brasil, eu não estaria preso”. A frase foi dita por José Maria Marin a seus advogados na Suíça, onde está detido desde 27 de maio.
O ex-presidente da CBF acredita que só foi preso porque numa conversa com J.Hawilla, reú confesso em ação sobre corrupção no futebol, disse que estava na hora de (o dinheiro de pagamento de propina pela venda de direitos de transmissão pela TV) vir na nossa direção”
O dirigente crê que a Justiça americana não tem nenhuma prova contra ele além dessa, mas entende que pelas leis dos Estados Unidos é o suficiente para ser acusado pelo crime de conspiração para lavagem de dinheiro, que não existe no Brasil. Assim, o dirigente acredita que estaria livre se o processo se desenrolasse em seu país.
Sobre a frase polêmica, os advogados do cartola dizem que ele apenas estava dando corda para Hawilla a fim de saber o que estava acontecendo em relação aos contratos assinados antes de sua gestão.
Aos 83 anos, Marin também afirmou a seus defensores que não têm esperança de sair vivo dos Estados Unidos se for extraditado para lá. Isso porque cumpriria pena até sua morte, ainda que em regime de prisão domiciliar, já que possui um apartamento lá.
A Suíça deve decidir em agosto se aceita o pedido de extradição feito pelos Estados Unidos.
Em sua defesa, Marin anexou contratos assinados por seu antecessor, Ricardo Teixeira, para sustentar que os acordos investigados pelo FBI não foram feitos por ele.
O dirigente está empenhando em colaborar com seus advogados e passou até a usar um dicionário a fim de traduzir trechos do processo do inglês para o português.

Comento: O Brasil está mudando, haja vista a Lava-jato, mas ainda tem muito corrupto 'metendo a mão' neste imenso Brasil, como se vê nos jornais e blogs que chegam a nós.

NEM TUDO QUE É VELHO SE DESMANCHA NO AR

Prefeito Cláudio, de Três Corações, no melhor estilo Ailton Vilela, só que bem mais exagerado, recebe o povo em seu gabinete. O fotógrafo está à espera. Depois, contam, os servidores são 'convidados' a espalharem as fotos nas redes sociais.



DO LEITOR: POLÍTICA TRICARDÍACA

"HEGEMONIA E AUTORITARISMO a política tricardíaca é a política brasileira, e só Espero que a imprensa tricordiana entreviste prefeito e seu advogado sobre a notícia abaixo, tão feia, tão deplorável para eles que se arvoram em ser homens públicos do partidarismo político. Cláudio Pereira, agora na companhia de Rinaldo Xavier, opta outra vez pelo caminho fácil e odioso, o autoritarismo. Sim, pois que um homem público que move a Justiça contra a opinião de cidadãos, sem oferecer aos cidadãos a progressão de um debate, é alguém francamente dado ao autoritarismo. E populista, já que ele se comunica em nome de ser o "prefeito do diálogo". Cabe ao cidadão tricordiano decidir o que pensar de um prefeito "do diálogo" que criminaliza opiniões. Mas é preciso pensar rápido ou a censura chegará até a minha, até a sua casa. Ocorre que nas eleições de 2012 a Câmara Municipal se conformou em oposição ao então prefeito. Ainda que meramente eleitoral, a existência da oposição refreia as práticas autoritárias, pois sempre pode surgir um adversário em posição de dar repercussão negativa ao uso da força contra o cidadão. Agora, caminhamos para 2016 sob o comando hegemônico do grupo político de Cláudio Pereira: totalitário, autoritário. Não é gratuito que desde 2013 a Polícia Militar já tenha sido acionada por Executivo e Legislativo contra cidadãos. Que imprensa e cidadãos estejam respondendo na Justiça a acusações de crime de opinião, cujo efeito mais profundo é permitir que Cláudio Pereira e seus aliados políticos não respondam pelas suas contradições. Cito algumas: À falta de oposição, a gestão Cláudio Pereira: aumentou sensivelmente os impostos e nunca apresentou uma balanço convincente da economia da prefeitura; aguarda visita do Tribunal de Contas de MG porque não prestou contas devidamente; promoveu servidores investigados pelo Ministério Público por má-conduta (para que paguem bons advogados?); dispensou ou realocou servidores cuja contratação foi apontada pelo Ministério Público como nepotismo (contração de parentes); recontratou Altair Nogueira e mantém nos quadros de indicação política diversos servidores envolvidos nos escândalos sexual e administrativo de o ex-vereador é suspeito. A lista é longa e muito mais desonrosa do qualquer palavra ofensiva que possa proferir um cidadão de saco cheio de ser enganado. À Cláudio Pereira, os vereadores de sua base aliada e seu bacharéis de recado o meu abraço falso!"
(Lelo de Brito)

POLÍCIA CIVIL REALIZA BUSCAS NESTA MADRUGADA

Esta madrugada a Polícia Civil realizou uma forte operação em Três Corações e prendeu pessoas. Tinha viaturas de outras cidades.
Logo mais novas notícias.

segunda-feira, 27 de julho de 2015

Olho no ventilador

Leo Pinheiro, da OAS, está negociando sua delação premiada e pode mesmo acabar envolvendo o ex-presidente Lula, mais seu milionário filho, Fábio Lula da Silva, o Lulinha. E também Renato Duque, Nestor Cerveró e Jorge Zelada, ex-diretores da Petrobras, poderão optar pela mesma alternativa para conseguirem penas mais amenas. Ou seja: seria a abertura total do esquema de corrupção, envolvendo novos personagens e partidos e mais políticos do primeiro time do país.
(Gilberto1)

Dilma culpa Lava Jato pela queda de 1% do PIB.


Não, a culpa não é da corrupção petista. A culpa é da investigação da corrupço. Esta é a visão da presidente da República, Dilma Rousseff. Se a Justiça não estivesse investigando, o PIB do Brasil não cairia, afirmou. A declaração foi dada a cerca de 10 ministros na tarde de hoje para pedir que ajudem a garantir apoio político no Congresso. A petista quis reforçar a avaliação sobre as dificuldades na economia. Num trecho do encontro no Palácio do Planalto, afirmou que os efeitos da Operação Lava Jato provocaram uma queda de 1 ponto percentual no PIB brasileiro.

BOLETIM ACE: CONVÊNIO


TRÊS CORAÇÕES: ESGOTO NO TREVO QUE LEVA AO PARQUE JUSSARA FICA POR TRÊS DIAS JORRANDO TODO O TIPO DE DEJETOS

O nosso leitor e amigo Juvenal Abreu mandou as fotos abaixo com o seguinte comentário:"É uma falta de respeito com todos os moradores dos nossos bairros, e uma negligência para com a saúde pública e respeito ao ser humano, e o pior, de uma incompetência administrativa de todos os órgãos públicos".

Segundo o Juvenal, o esgoto jorrou sexta-feira, sábado e até o final da tarde de domingo (26), isso após inúmeras reclamações.


O BRASIL REAL ONDE TUDO É IRREAL



A este Blog junta-se a Márcia Reis e o Weslei Costa, ambos a favor da comunidade e contrários a atual administração municipal, ou melhor, o modo como Três Corações está sendo administrada. O Prefeito ajuizou contra os dois ações de cunho criminal (injuria, difamação) com pedido de tutela antecipada, acatada, marcando como prazo final esta terça-feira (28) para retirarem se suas páginas no Facebook todas as expressões entendidas como afrontosas ao Prefeito de Três Corações.


É um direito do Prefeito e para isso existe a defesa, embora ele use e abuse desse direito tão-somente visando sua candidatura às próximas eleições, claramente com a finalidade de amedrontar seus críticos, especialmente na imprensa livre e redes sociais.

No entanto, e aqui falando de modo geral, acho que deveria existir uma ferramente jurídica, também uma tutela, tão rápida quanto essas, para afastar prefeitos corruptos por este Brasil afora, que tanto mal causam ao povo deste sofrido País. Aqui se o político algum dia pagar pelos atos malfeitos, será décadas depois, uma demora irreal incentivando e dando coragem a quem está na vida pública sendo improbo. 

INTERNET ESTÁ RUIM

Bem diletos amigos e leitores. Este final de semana estive viajando, e hoje (27) a internet estava fora do ar. Parece que a Conecta ainda está tendo problema com o seu servidor, eis que o sinal voltou mas continua ruim. Espero que tudo se normalize rapidamente para o imediato retorno das postagens. Enquanto isso vou ver se consigo atualizar os vários comentários.
Abraços
Paulão

sexta-feira, 24 de julho de 2015

DO LEITOR A RESPEITO DE UMA POSTAGEM JÁ FEITA POR ESTE BLOG

Ridículo e uma grande falta de respeito aos idosos, o que eu presenciei, hoje: às 11 h da manhã uma caminhada em frente ao ginásio poliesportivo, com todo um aparato montado pela Prefeitura. Uma ambulância do Corpo de Bombeiros, um carro de som tocando música e um locutor, com um megafone na mão, aos berros incentivando os idosos e fazendo propaganda da Prefeitura. Parecia um rodeio de peões tocando os bois para o curral. 
Tenho a impressão que os nossos idosos merecem um pouco mais de respeito e carinho. Sou totalmente a favor de que eles façam exercícios e vivam com saúde, mas em local próprio para isso, monitorados por um professor de educação física, um fisioterapeuta e um médico para fazê-los uma visita pelo menos, duas vezes por semana. 
Usar o idoso dessa maneira, para angariar alguns votos, me perdoem a sinceridade, mas na minha concepção é um CRIME.

Observação deste Blog: Com a palavras a Promotoria (Idosos e Eleitoral)

Executivos da Odebrecht e Andrade Gutierrez são denunciados à Justiça

Presidentes de empresas, Marcelo Odebrecht e Otávio Azevedo aparecem. Ao todo, 22 pessoas estão presentes na denúncia dos procuradores.
Samuel Nunes e Erick GimenesDo G1 PR








O Ministério Público Federal (MPF) apresentou à Justiça, nesta sexta-feira (24), uma denúncia contra executivos da construtora Odebrecht e da Andrade Gutierrez investigados na Operação Lava Jato. Entre os denunciados estão os presidentes da Odebrecht S.A., Marcelo Odebrecht e da Andrade Gutierrez, Otávio Marques de Azevedo.
Ao todo, são 22 pessoas denunciadas. Também aparecem na denúncia os nomes do doleiro Alberto Youssef, do ex-diretor de Serviços da Petrobras Paulo Roberto Costa.

Lista dos denunciados

- Alberto Youssef
- Alexandrino de Salles Ramos de Alencar
- Antônio Pedro Campello de Souza Dias
- Armando Furlan Júnior
- Bernardo Schiller Freiburghaus
- Celso Araripe d'Oliveira
- Cesar Ramos Rocha
- Eduardo de Oliveira Freitas Filho
- Elton Negrão de Azevedo Júnior
- Fernando Falcão Soares
- Flávio Gomes Machado Filho
- Lucélio Roberto von Lechten Góes
- Marcelo Bahia Odebrecht
- Márcio Faria da Silva
- Mario Frederico Mendonça Góes
- Otávio Marques de Azevedo
- Paulo Roberto Costa
- Paulo Roberto Dalmazzo
- Paulo Sérgio Boghossian
- Pedro José Barusco Filho
- Renato de Souza Duque
- Rogério Santos de Araújo

PÓS-GRADUAÇÃO UNIVERSIDADE BARÃO DE MAUÁ




Pós-graduação 
Universidade Barão de Mauá. 

MBA em Gestão de Pessoas e Liderança e mais de 50 cursos EAD com mestres e doutores. Acesse e experimente por 15 dias. www.baraoead.com.br

Polo Sigma EAD - (35)3232-4316

UM TELEFONEMA QUE VALE UM EMPREGO NA PREFEITURA

Só para registrar: na terça-feira (21) estava tomando um café com dois amigos quando o celular toca. Era o Marcelão Voz de Trovão, com quem muito pouco converso. Ele foi logo falando: "Paulão, aqui é o Marcelão. Posso falar com você hoje à tarde?" e emendou: "eu tenho uns documentos contra o Cláudio e quero te entregar". e combinamos o local. Contei para os amigos, mas logo falei que ele jamais compareceria, e mais, apostei que ele deve ter falado perto de um claudete que de imediato levou o recado ao prefeito. Resultado: coincidência ou não, leio aqui no Blog que ele foi recontratado na Prefeitura por R$ 1.300,00
Modo estranho de se viver!

IMPERDÍVEL: EXPOSIÇÃO DO ARTISTA RICK MONTEIRO


quinta-feira, 23 de julho de 2015

A SEGUNDA PERGUNTA

Outro leitor, ao ler a matéria acerca das prisões de comerciantes do ramo de peças de veículos pela PF por supostas fraudes em licitações em prefeituras da região, questiona o MP tricordiano ante as notícias idênticas que correm em Três Corações.

Respondo que o Ministério Público de Três Corações, especificamente o Promotor Dr. Victor Hugo está sim trabalhando com afinco. Recentemente ele ajuizou Ação de Improbidade exatamente nesse sentido contra o secretário de Obras do Município, Denis Leonardo. A Ação está na 3ª Vara Cível, uma Vara morosa ante os inúmeros processos ali existentes, mas a Promotoria está atenta.
Por outro lado, há uma Ação Criminal pronta, também contra a mesma pessoa e mesmo assunto. Faltam apenas chegar as investigações que a Polícia Federal está realizando de forma meticulosa. Esta Ação, segundo fontes, pode ter sérias consequências que, seguramente, vão extrapolar os muros do almoxarifado.

VAI SE AVOLUMANDO PROPAGANDA CITANDO SÓ O NOME DO PREFEITO CLÁUDIO

Segundo se comenta foi constante a propaganda política a favor do prefeito Cláudio, de Três Corações, no evento das motos no Parque Dondinho. A todo instante o locutor, Marcelão Voz de Trovão, anunciava que o prefeito Cláudio e não a administração foi quem trouxe o campeonato para Três Corações.
O mesmo aconteceu ontem (23) em evento no Centro de Idosos, onde só o nome do prefeito soava a todo instante.
Sabem o que é isso. É crime de propaganda eleitoral antecipada, mesmo não pedindo votos. 
Com a palavra o Ministério Público Eleitoral.

A ASSOCIAÇÃO ENTRE O PREFEITO CLÁUDIO E O SECRETÁRIO DE GOVERNO ODAIR CUNHA PODE CARACTERIZAR O CRIME DE TRÁFICO DE INFLUÊNCIA?

Quem é o sujeito passivo do crime de tráfico de influência (art. 332 CP)?

Assim dispõe o art. 332 do CP "Solicitar, exigir, cobrar ou obter, para si ou para outrem, vantagem ou promessa de vantagem, a pretexto de influir em ato praticado por funcionário público no exercício da função. Pena - Reclusão de dois a cinco anos, e multa".

Digo isso porque o próprio dirigente petista, ex-presidente do PT em Três Corações e líder sindical no sul de Minas, o professor Luiz Carlos Silva da Cunha, afirma a este Blog que o secretário de Governo, Odair Cunha, interfere com sua influência na administração de Três Corações, empregando toda uma ala do PT por ele dominada, inclusive seus amigos de outras cidades, em cargos de secretários, diretores e chefias na Prefeitura de Três Corações, administrada por seu amigo Cláudio Cosme Pereira de Souza. Claro que todos são bem remunerados. 
Convém salientar que não é somente o Luiz Carlos quem diz isso, acredito que toda a comunidade sabe dessa influência maléfica ao serviço público tricordiano.

O particular deve ser lido como "particular" de forma abrangente, eis que nesse caso o Odair Cunha pode estar funcionando como um "comprador de influência" para os seus seguidores, em prejuízo a pessoas do serviço público que perdem oportunidade de um cargo melhor, como já aconteceu por esta influência, ou até mesmo da comunidade em entrar no serviço público. 

Bem, fica aberto a questão aos advogados criminalistas e ao MP.

Duas perguntas a este Blog

1 - Leitor diz que comentários dão conta que o ex-prefeito Gordo Dentista teria vendido as 31 guias fraudadas do SUS, (o caso priapismo) como também a sindicância municipal para o Dr. Cláudio, que está sendo investigado pela Polícia Federal a mando do Procurador da República, Dr. Marcelo Ferreira.


Respondo que a hipótese é remota, embora nem eu, e tampouco a Polícia Federal, acreditamos na história contada pelo Gordo Dentista quando afirma que queimou os documentos que estavam guardados em um velho baú em sua casa. 
Na real verdade, sempre achei que esses papéis iriam aparecer quando o Gordo achasse necessário, mas desde 2012 quando o Cláudio buscou e conseguiu desmoralizar sua candidatura, e agora, com o prefeito empenhado em por um fim em sua pretensão à 2016, com o Gordo novamente se mantendo silente, as especulações ouvidas leitor devem voltar a crescer, embora continue achando ser a hipótese remotíssima.
Da mesma forma é até possível que o Procurador da República, Dr. Marcelo José Ferreira, que determinou que a PF investigasse este caso do priapismo, mesmo não localizando os documentos, use um variante da Teoria do Domínio do Fato para pedir em juízo o indiciamento, ante tantas evidências existentes. 

A segunda pergunta respondo logo mais.

Advogada especialista em delação desiste de clientes da "lava jato"

A advogada Beatriz Catta Preta, que costurou ao menos nove acordos de delação premiada na operação “lava jato”, renunciou à defesa de três réus nos últimos dias. Ficaram “órfãos” o ex-gerente da Petrobras Pedro Barusco e os empresários Augusto Ribeiro de Mendonça e Julio Gerin de Camargo, do grupo Toyo Setal, todos delatores do caso.

Catta Preta ganhou notoriedade ao atender investigados interessados em colaborar em troca de benefícios — enquanto a maioria dos criminalistas atuantes nos processos torcia o nariz para tal estratégia. O primeiro acordo negociado por ela foi de Paulo Roberto Costa, um dos principais personagens do caso, que comandava o setor de Abastecimento da petrolífera e desde 2014 já tinha trocado a defesa.Catta Preta comunicou desistência a clientes da operação "lava jato".
Reprodução
No início de julho, a CPI da Petrobrasautorizou a convocação da advogadapara que ela explicasse a origem do dinheiro que pagou seus honorários. A manobra resultou na reação de entidades ligadas à advocacia.
A mudança de ares ocorre ainda depois que Julio Camargo citou em depoimento o presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ). Em audiência com o juiz Sergio Fernando Moro, responsável pelas ações da operação "lava jato" no Paraná, ele afirmou que foram cobrados US$ 5 milhões como propina por contratos de navios-sonda. O deputado nega e tenta agora levar o processo ao Supremo Tribunal Federal.
Segundo o jornal Folha de S.Paulo, aponta-se que Catta Preta decidiu mudar de país. Em outubro de 2014, ela registrou na Florida (EUA) a Catta Preta Consulting, ainda de acordo com a publicação. Desde que teve o nome citado pela CPI, seu celular só fica na caixa postal e ninguém atende ligações no seu escritório, localizado no Jardim Europa, na capital paulista.
Assistente da criminalista, o advogado Luiz Henrique Vieira também assinou as renúncias. A revista Consultor Jurídico constatou ainda que a advogada deixou processos de outros clientes que tramitavam no Supremo Tribunal Federal.
Beatriz tem 40 anos de idade e graduou-se em Direito pela Universidade Paulista (Unip) em 1999, de acordo com o jornal O Globo. É pós-graduada na FGV em Direito Penal Empresarial e herdou o sobrenome do marido, com quem vive no município de Barueri, na Grande São Paulo.
“Os advogados podem criticar, gostar ou não. Eu acredito na delação como meio de defesa. É prevista em lei, agora regulamentada pela Lei 12.850. É sim um meio eficaz de defesa quando o réu se vê sem outra saída”, afirmou em fevereiro ao blog do jornalista Fausto Macedo, do jornal O Estado de S. Paulo.
Herança
Julio Camargo já tem como novo advogado Augusto Figueiredo Basto, que defende os também delatores Alberto Youssef e Carlos Alberto da Costa Silva, funcionário da UTC. Basto afirmou à ConJur que foi procurado por Camargo depois de audiência promovida na última sexta-feira (17/7).
Com escritório em Curitiba e defensor do doleiro Youssef desde o caso Banestado, nos anos 1990, o advogado tem ainda cerca de dez clientes envolvidos com a “lava jato”, entre pessoas físicas e jurídicas — ele prefere não citar nomes.

quarta-feira, 22 de julho de 2015

Prefeito de Montes Claros, Rui Muniz, é acusado de reter R$ 20 milhões do SUS

O prefeito de Montes Claros, no Norte de Minas, Ruy Muniz (PRB), é acusado de reter indevidamente mais de R$ 20 milhões de recursos destinados à saúde. De acordo com o Ministériio Público Federal (MPF), mais de 1,6 milhão de pessoas teriam sido prejudicadas e que o político não teria apresentado qualquer justificativa idônea para o ato. Também são réus na ação dois secretários de saúde municipais: a atual, Ana Paula de Oliveira Nascimento, e o antigo ocupante da pasta, Geraldo Edson Souza Guerra.
O político nega as acusações. "É uma mentira. A prefeitura de Montes Claros repassa em dia todos os pagamentos aos hospitais", afirma o prefeito, que disse ainda que vai denunciar o MPF ao Conselho Nacional do Ministério Público.
Montes Claros é a cidade pólo da Macrorregião Norte e quando um morador de qualquer dos 86 municípios precisa de atendimento de média e alta complexidade, ele normalmente é encaminhado à rede conveniada do SUS da cidade. Para viabilizar o atendimento, a Secretaria Estadual de Saúde (SES) encaminha os recursos necessários - de origem federal e estadual - ao Fundo Municipal de Saúde de Montes Claros, que, por sua vez, os direciona aos prestadores de serviços de saúde remunerando-os pelos atendimentos prestados.
No entanto, segundo o MPF, desde que Ruy Muniz (PRB) assumiu o poder público municipal sua administração vem retendo ilegalmente verbas federais e estaduais do SUS que deveriam ser encaminhadas aos prestadores de serviços hospitalares filantrópicos - Hospitais Aroldo Tourinho, Dílson Godinho e Santa Casa de Misericórdia - e público - Hospital Universitário.
Além da condenação nas sanções da Lei de Improbidade Administrativa, os MPF pede também que os réus sejam condenados por dano moral coletivo, no valor de R$ 1,5 milhão cada um. Especificalmente ao atual prefeito Ruy Muniz (PRB), a ação também pede que a Justiça Federal condene-o ao pagamento de indenização no valor de 15 milhões de reais.
Suspensão dos repasses
Após várias recomendações do MPF para que fossem tomadas novas medidas, no dia 15 de julho, foi decretada a suspensão do repasse de verbas da saúde, federais e estaduais, ao Fundo Municipal de Saúde de Montes Claros a partir do dia 1º de setembro.
As notificações começaram em setembro de 2013, após audiência pública que contou com a presença de prefeitos e secretários de saúde dos municípios que integram a Macrorregião Norte, o prefeito e o então secretário Geraldo Edson foram notificados "a proceder a devolução imediata de todos os recursos financeiros retidos", sob pena de responsabilização administrativa, cível e criminal, mas o pedido não foi acatado.
Com isso, o Ministério Público Federal e o Estadual expediram uma recomendação à União e ao Estado para que os repasses fossem regularizados por meio de transferência direta dos recursos, ou seja, sem passar pelo Fundo Municipal de Saúde de Montes Claros. Foi solicitado ainda a imediata devolução dos recursos retidos pela prefeitura.
Prejuízos na saúde local
O Hospital Universitário, que é uma unidade 100% SUS, tem nesses recursos públicos sua única fonte de custeio. Ao MPF, a unidade afirmou que a retenção das verbas vem ocasionando o desabastecimento de insumos e medicamentos, superlotação, aumento do índice de infecção hospitalar e aumento dos pedidos de desligamento de profissionais da saúde. Essa realidade se repete nos demais hospitais, que ainda se viram obrigados a assumir empréstimos bancários para pagar as dívidas.
Interesse pessoal
De acordo com a ação, existe uma motivação por parte do prefeito em "estrangular" financeiramente os hospitais locais com o propósito de inviabilizar o funcionamento deles e favorecer o recém-inaugurado hospital Ambar Saúde, de um grupo econômico do qual ele faz parte.

MP faz operação combate fraudes em quatro cidades do Sul de Minas

Investigação apura fraudes em licitações de compra de peças automotivas. Ao todo foram cumpridos 11 mandados de prisão em cidades da região.
Do G1 Sul de Minas
Operação do Ministério Público combate fraudes no Sul de Minas (Foto: Daniela Ayres / G1)

Operação do Ministério Público combate fraudes no Sul de Minas (Foto: Daniela Ayres / G1)
Uma operação do Ministério Público Estadual (MPE) cumpriu na manhã desta quarta-feira (22) três mandados de prisão preventiva e oito de prisão temporária nas cidades de Ilicínea (MG), Alfenas (MG), Pouso Alegre (MG), São João Batista do Glória (MG) e Belo Horizonte (MG). Também foram cumpridos 15 mandados de busca e apreensão.
Em Alfenas, conforme a polícia, foram cumpridos seis mandados de prisão e oito de busca e apreensão em lojas de autopeças. Em Pouso Alegre, dois mandados de busca e apreensão foram cumpridos e uma pessoa teve a prisão temporária decretada. Em Ilicínea e São João Batista do Glória, quatro servidores públicos foram detidos.
Conforme o Ministério Público, o objetivo da ação é colher provas e informações para subsidiar investigação que apura a ação de organização criminosa voltada para a prática de crimes contra a Administração Pública cometidos por empresários e servidores públicos em diversos municípios do Sul de Minas.
Investigações
Segundo as investigações, que começaram há mais de 1 ano, um grupo de empresários do segmento de comércio de peças para veículos automotores que se reuniam para ajustar preços e fraudar licitações realizadas principalmente por prefeituras do sul do estado. Com isso, definia-se previamente qual seria a empresa vencedora e os preços praticados. Após serem contratados, os empresários também fraudavam orçamentos e notas fiscais elevando indevidamente os preços das peças fornecidas gerando prejuízo para os cofres públicos.
Os presos foram conduzidos para unidades prisionais de Boa Esperança, Alfenas, Passos e Belo Horizonte. Além disso, foram apreendidos 41 volumes de documentos e uma arma de fogo, que estava na residência de um dos investigados, em Pouso Alegre, o qual foi preso em flagrante também por posse ilegal de arma de fogo.
A operação contou com o apoio da Polícia Militar de Minas Gerais no cumprimento dos mandados. Participaram da ação, sete promotores de Justiça, 45 servidores do MPMG e 116 policiais militares.

Elio Gaspari - A cabeça dos oligarcas

A verdadeira crise institucional está nas pressões que vêm sendo feitas sobre o Judiciário. Quem conhece esse mundo garante que nunca se viu coisa igual


Marcelo Odebrecht está preso e foi indiciado pela Polícia Federal. Em sua cela no Paraná mantém um diário do cárcere. Os barões da Camargo Corrêa foram condenados e na oligarquia política fabrica-se uma crise institucional. Houvesse ou não uma Lava-Jato, a desarticulação do Planalto envenenaria as relações com o Congresso.
Ademais, essa crise tem um aspecto inédito. De um lado, estão servidores a respeito dos quais não há um fiapo de restrição moral ou mesmo política. São os magistrados e os procuradores. Do outro lado está o outro lado, para dizer pouco. Nunca aconteceu isso na vida pública brasileira.
O presidente da Câmara, deputado Eduardo Cunha, estaria retaliando o governo ao permitir a criação de uma CPI para investigar os empréstimos dos BNDES. Há uma armadilha nessa afirmação. Ela pressupõe uma briga de quadrilhas, com Cunha de um lado e o Planalto do outro. Ou há esqueletos no BNDES ou não os há. Se os há, a CPI, bem-vinda, já deveria ter sido criada há muito tempo. Se não os há, nada haverá.
A verdadeira crise institucional está nas pressões que vêm sendo feitas sobre o Judiciário. Quem conhece esse mundo garante que nunca se viu coisa igual. Se as pressões forem bem-sucedidas, avacalha-se o jogo.
Cada movimento que emissários do governo fazem para azeitar habeas-corpus de empresários encarcerados fortalece a ideia de que há um conluio entre suspeitos presos e autoridades soltas. Ele já prevaleceu, quando triturou-se a Operação Castelo de Areia.
Em 2009 a Camargo Corrêa foi apanhada numa versão menor da Lava-Jato. Dois anos depois ela foi sedada pelo Superior Tribunal de Justiça e, há meses, sepultada pelo Supremo Tribunal Federal. Agora o ex-presidente da empresa e seu vice foram condenados (com tornozeleira) a 15 anos de prisão.
O ex-presidente do conselho de administração levou nove. Desta vez a Viúva foi socorrida por dois fatores. O efeito Papuda, resultante da ida de maganos e hierarcas para a cadeia, deu vida ao mecanismo da colaboração de delinquentes em busca de penas menores. Antes, existiam acusações, agora há confissões. Já são 17. A Castelo de Areia não foi uma maravilha técnica, mas a sua destruição será um assunto a respeito do qual juízes não gostarão de falar.
Quem joga com as pretas tentando fechar o registro da Lava-Jato sabe que a Polícia Federal e o Ministério Público estão vários lances à frente das pressões. Da mesma forma, quem se meteu nas petrorroubalheiras sabe que suas pegadas deixaram rastro. Curitiba dribla como Neymar. Quando baixa uma carta, já sabe o próximo passo.
Afora os amigos que fazem advocacia auricular junto a magistrados, resta a ideia da fabricação da crise institucional. Ela seria tão grande que a Lava-Jato passaria a um segundo plano. É velha e ruim.
Veja-se por exemplo o que aconteceu ao vigarista americano Bernard Madoff: na manhã de 11 de setembro de 2001 ele sabia que seu esquema de investimentos fraudulentos estava podre. (Era um negócio de US$ 65 bilhões.) Quando dois aviões explodiram nas torres gêmeas de Nova York e elas desabaram, matando três mil pessoas, ele pensou: “Ali poderia estar a saída. Eu queria que o mundo acabasse".

Madoff contou isso na penitenciária onde, aos 77 anos, cumpre uma pena de 150 anos.

A VERGONHOSA CÂMARA MUNICIPAL DE TRÊS CORAÇÕES

O fisiologismo que impera na Câmara Municipal de Três Corações é indesculpável, ante a falta de vergonha e amor próprio dos vereadores. Sim, e tudo personalizado no presidente da Câmara Municipal de Três Corações, que ocupa o cargo não porque foi eleito, mas por circunstância de renúncia de um vereador. O senhor Jorge Machado, que está presidente da Casa, se comporta como um servo do prefeito, jogando na lata do lixo toda uma história conquistada por outras passagens à frente ao próprio legislativo.
Não raro ele engaveta projetos do único vereador opositor “justificando” que o prefeito ligou para não aprovar, obediente, obsequioso,  engaveta e pronto.
Triste! Muito pequeno este período que qual Três Corações está passando.

Nota de esclarecimento

Filiados e militantes ao Partido dos Trabalhadores de Três Corações reafirmam esclarecimento que o PT não integra a atual administração municipal. Alguns filiados ocupam cargos na prefeitura em nome próprio e por terem participado da campanha para a eleição do atual prefeito, mesmo o PT tendo candidatura própria, ou por estarem a mando de um Deputado Federal, que também não apoiou a candidatura do partido. O sentimento existente no partido é que devemos lançar candidato próprio nas eleições municipais de 2016, para resgatarmos nossa história e reafirmarmos nosso compromisso com a ética na política, desgastada pelo oportunismo de uma minoria. Jamais aceitaremos que nossas bandeiras sejam trocadas por cargos, benesse e sinecuras. Do mesmo modo, o candidato ou candidata que apoiaremos deverá apresentar um histórico de fidelidade e compromisso com a construção partidária no município. O partido é democrático, aberto e plural, contudo, resistiremos a candidatos que trocam de partido como se troca de camisa. Desde já convoco todos os militantes históricos e autênticos a rechaçar as investidas dos que buscam usar a legenda em benefício próprio. 

Três Corações, 20 de julho de 2015. 

Prof. Me. Luiz Carlos Silva da Cunha
Ex-presidente do PT Tricordiano e militante sindical no sul de Minas
(35) 9917-4490 Vivo - 8806-8470 Oi - 9205-1010 Tim
SOU CONTRA O ANONIMATO NA POLÍTICA.

terça-feira, 21 de julho de 2015

BOLETIM ACE: CONVITE


ACUPUNTURA

A MADUSA E O VEREADOR QUATI

O vereador Quati foi à Rádio Tropical chorar que não foi convidado para falar na entrega da Praça no Santo Afonso recuperada pela prefeitura. O prefeito, que gosta de uma pracinha, falou, falou e nada de chamar o Quati, vereador do Bairro, e que diz ter dado dinheiro do bolso para a compra de materiais para a melhoria do espaço que estava abandonado pelo poder público. O vereador xingou a secretaria de Comunicação, ou seja, xingou o defunto, mas não se atreveu a apagar a vela. 
Leitinho fervido para ele, que é bom para dormir quentinho, lembrou a Madusa, a copeira aqui da redação. 

A QUANTAS ANDA A AVALIAÇÃO DO PREFEITO DE TRÊS CORAÇÕES?

Com pesquisas da CNT/MDA apontando a presidente Dilma com minguados 7,7% na avaliação positiva, e como perguntar não ofende, a quantas anda a avaliação do Prefeito Cláudio, de Três Corações?

Grupo Unis figura na lista de melhores empresas para se trabalhar em Minas Gerais

Aprovação de Dilma despenca para 7,7% na opinião dos brasileiros

A avaliação positiva do governo Dilma Rousseff caiu para 7,7%, segundo a 128ª Pesquisa da Confederação Nacional do Transporte (CNT/MDA), divulgada hoje (21). A avaliação negativa passou de 64,8%, em março, para 70,9% no levantamento feito entre os dias 12 e 16 de julho. Foram ouvidas 2.002 pessoas, em 137 municípios.
"A conclusão final da pesquisa mostra uma elevação do pessimismo do brasileiro em consequência da alta do custo de vida, do aumento da inflação, do crescimento do desemprego e da forte percepção sobre a corrupção e a incapacidade do governo em resolvê-la", disse Clésio Andrade, presidente da CNT.
A última pesquisa, divulgada em março, mostrou que 10,8% das pessoas ouvidas consideraram positiva a avaliação do governo. Com o atual resultado, o governo teve a menor avaliação positiva registrada pela pesquisa desde outubro de 1999, quando o desempenho do governo do então presidente Fernando Henrique Cardoso foi aprovado por 8% das pessoas.
Durante a campanha eleitoral, 41% dos entrevistados consideraram o governo de Dilma positivo e 23,5% consideraram negativo. No levantamento feito nos dias 27 e 28 de setembro do ano passado, 35% das mais de 2 mil pessoas ouvidas avaliaram a administração como regular e 0,5% dos entrevistados não souberam ou não responderam no período pré eleitoral.
Avaliação pessoal de Dilma Rousseff
A avaliação sobre o desempenho pessoal da presidenta também teve queda. No atual levantamento, 15,3% dos entrevistados aprovam a presidenta, enquanto 79,9% desaprovam a atuação de Dilma Rousseff. E 4,8% das pessoas não souberam avaliar ou responder. Em março, 18,9% dos entrevistados avaliaram positivamente e 77% avaliaram negativamente e 3,4% não souberam dizer ou não responderam.
Segundo Andrade, a presidenta tem pontos prós e contras que podem definir seu futuro político. Entre os pontos negativos, o presidente da CNT elencou a crise econômica, a crise no Congresso Nacional e a dificuldade de articulação política do governo. Para ele, a análise do Tribunal de Contas da União (TCU) sobre as contas do governo pode agravar ainda mais a situação. “Tudo isso e a falta de apoio popular, que é o mais importante, mostra dificuldade de reverter o quadro”, avaliou. Entre os favoráveis ao governo, Clésio Andrade apontou o apoio dos movimentos sociais e a dificuldade de a oposição se unir com o objetivo de visão única sobre o governo. 
Emprego, saúde e educação
A expectativa dos entrevistados para os próximos seis meses de governo mostrou que mais da metade (55,5%) acreditam em uma piora do cenário de emprego no país, enquanto 15% apostam em melhora e 27,5% não acreditam em mudanças, neste período. Sobre a renda mensal, mais da metade (50,2%) acreditam que ficará nos atuais patamares.
Conforme a pesquisa, 13,6% dos entrevistados apostam em melhorias na área da saúde no próximo semestre contra 47,5% que estão pessimistas e acreditam que o setor vai piorar. Um cenário semelhante se repete em relação às expectativas para a educação (15,1% apostam em melhora, 41% em piora e 42,1% apostam que não haverá mudança).
Operação Lava Jato
De acordo com a CNT, dos 78,3% de entrevistados que ouviram falar das investigações envolvendo a Petrobras, 69,2% consideram que a presidenta é culpada pela corrupção e 65% acham que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva está envolvido no esquema. Entre os que acompanham as investigações, 40,4% consideram que o maior culpado na Operação Lava Jato é o governo, seguido pelos partidos políticos (34,4%), diretores ou funcionários da empresa (14,2%) e construtoras (3,5%).
Ainda em relação à Lava Jato, os entrevistados se mostraram pessimistas sobre resultados. Pelo menos 67% das pessoas ouvidas não acreditam que os envolvidos serão punidos e por volta de 52% não apostam na capacidade do governo de combater a corrupção na estatal. A maioria (90,2%) também não considera que há exagero nas prisões e mais da metade dos 37,3% dos entrevistados que sabem o que é delação premiada são favoráveis ao mecanismo. Pelo menos 86% das pessoas avaliam que as denúncias prejudicam a economia do país.
Eleições 2018
Na projeção do cenário eleitoral de 2018, o levantamento mostrou que no cenário de disputa entre Aécio Neves (PSDB), Lula (PT) e Marina Silva, o tucano venceria com 35,1% dos votos, seguido por Lula com 22,8% e 15,6% dos votos para Marina. Na disputa entre Lula, Marina, Geraldo Alckmin e o deputado Jair Bolsonaro, o ex-presidente venceria com 24,9% dos votos, seguido por Marina (23,1%), o atual governador de São Paulo (21,5%), e o parlamentar com 5,1%. Lula também venceria com 25% dos votos, se a disputa fosse com Marina Silva (23,3%), o senador José Serra (21,2%) e Jair Bolsonaro (5,5%).
Em segundo turno, Aécio venceria com 49,6% o ex-presidente que teria 28,5%. Alckmin venceria com 39,9% dos votos, seguido por Lula (32,3%) e José Serra seria eleito com 40,3% contra 31,8% do petista.
Dos mais de 2 mil entrevistados ouvidos pela CNT, 44,8% acreditam que se Aécio Neves tivesse vencido as últimas eleições, o governo estaria melhor que o da presidenta Dilma. Para 36,5% dos entrevistados o governo estaria igual e 10,9% avaliam que o governo do tucano estaria pior que o de Dilma.
Impeachment
O percentual de pessoas favoráveis a um eventual pedido de impeachment da presidenta Dilma Rousseff também aumentou. Passou para 62,8% dos entrevistados contra os 59,7% das pessoas ouvidas em março, favoráveis ao impedimento. Os motivos elencados como principais para justificar o impeachment seriam irregularidades nas prestações de contas do governo (25%), a corrupção na Petrobras (14,2%), irregularidades nas contas da campanha (14,2%) e 44,6% apontaram os três motivos como justificativa.
Mais da metade dos entrevistados (53,4%) consideram a corrupção como um dos principais problemas do país. Para 37,1%, a corrupção é o principal problema.

Triste fim de Lula, o garoto levado das empreiteiras

Na eleição presidencial do ano passado, a campanha da presidente Dilma Rousseff e o PT bateram duro, muito duro na candidata Marina Silva (PSB) porque uma de suas amigas e conselheiras, Neca Setúbal, era um dos herdeiros do Banco Itaú. E daí? Pois é...
Em alguns sites chapa branca, Neca foi apresentada como “a bilionária que comanda a campanha de Marina”. Em outros como “a fada madrinha de Marina”. O que se pretendeu foi atingir a imagem de Marina de candidata de origem pobre e independente.
Pouco importava que Neca, especialista em Educação, tivesse assessorado Fernando Haddad quando ele se candidatou e se elegeu pelo PT prefeito de São Paulo. Naquela ocasião, o PT fez que não viu a condição econômica de Neca. Como se a condição a condenasse.
O PT, a começar por sua filiada mais ilustre, Dilma, subiu nos tamancos revoltado com a ligação que se faz de Lula com a construtora Odebrecht. Ontem, por sinal, o presidente da Odebrecht acabou indiciado por vários crimes – um deles o de corrupção.
Nos dois governos de Lula, a Odebrecht foi a construtora que mais tomou dinheiro público emprestado pelo BNDES. Foi também, com a ajuda de Lula, a que mais conseguiu bons negócios em outros países. A princípio, nada demais.
O que parece excessivo: ao deixar a presidência, Lula tornou-se palestrante preferencial da Odebrecht e lobista dela aqui dentro e lá fora, coisa que ele teima em negar. E isso é muito diferente do que fazem ex-presidentes americanos e ex-primeiros-ministros ingleses.
Porque Lula não é um ex-presidente qualquer. Depois de Dilma, ninguém é mais influente no governo dela do que Lula. Qualquer sugestão que ele faça tem tudo para ser aceita. E em outros países se sabe disso. Daí o tapete vermelho que lhe estendem.
Ex-presidentes americanos não podem concorrer a nenhum cargo público. Ex-presidente brasileiro pode. E Lula não esconde a ambição de suceder Dilma. De resto, é pouco crível que construtoras envolvidas aqui em corrupção se comportem muito bem lá fora.
A associação com gente mal comportada não recomenda Lula, não é mesmo? Imaginem se o Itaú tivesse reformado a casa de Marina no Acre sem lhe cobrar um tostão... A OAS reformou um tríplex de Lula e um sítio dele sem nada lhe cobrar. Pura bondade!
Marina está em paz no canto dela. Neca, também. Lula está sendo investigado por tráfico de influência. A condução da economia no segundo e malfadado governo Dilma segue nas mãos de um banqueiro, Joaquim Levy.

Ricardo Noblat

AU AU AU O QUE ROLA NO FACE

segunda-feira, 20 de julho de 2015

BIOLOGUS MANIPULAÇÃO E DROGARIA



Justiça condena cúpula da empreiteira Camargo Corrêa por corrupção

Dalton Avancini, ex´presidente da Camargo Corrêa condenado
a 15 anos e 10 meses de reclusão
A Justiça Federal condenou a cúpula da empreiteira Camargo Corrêa por corrupção, lavagem de dinheiro e organização criminosa nas obras da refinaria Abreu e Lima, da Petrobras, e mais 3 pessoas. Dalton dos Santos Avancini, que foi presidente da empreiteira, e Eduardo Leite, pegaram 15 anos e dez meses de reclusão. Os dois fizeram delação premiada nos autos da Operação 'Lava Jato' e, por isso, o juiz Sérgio Moro concedeu a eles regime de prisão domiciliar.
João Ricardo Auler pegou nove anos e seis meses de reclusão por corrupção e pertinência à organização criminosa. Ele foi absolvido do crime de lavagem de dinheiro. O juiz também condenou o ex-diretor de Abastecimento da estatal Paulo Roberto Costa e o doleiro Alberto Youssef. O agente da Polícia Federal Jayme Alves de Oliveira Filho, o Jayme Careca, foi condenado a onze anos e dez meses de prisão por lavagem e organização criminosa.
Na mesma sentença, o magistrado absolveu o empresário Márcio Andrade Bonilho, do Grupo Sanko Sider, do crime de corrupção ativa, por falta de prova. Também foi absolvido, Adarico Negromonte Filho - irmão do ex-ministro das Cidades do Governo Dilma Mário Negromonte - da imputação do crime de pertinência à organização criminosa e de lavagem de dinheiro.
Esta é a primeira sentença contra empreiteiros, no âmbito da Juízo Final, etapa da 'Lava Jato' que alcançou o cartel na Petrobras. A decisão é do juiz Sérgio Moro, que conduz as ações penais decorrentes da investigação sobre corrupção e propinas na Petrobras.
Dalton dos Santos Avancini e Eduardo Hermelino Leite foram condenados por 38 crimes de lavagem de dinheiro consistentes nos repasses, com ocultação e dissimulação, de recursos criminosos provenientes dos contratos discriminados da Camargo Corrêa na RNEST (Abreu e LIma) e REPAR (Getúlio Vargas, no Paraná), através de operações simuladas com as empresas Sanko Sider, MO Consultoria, Empreiteira Rigidez, GDF Investimentos e Costa Global.
Paulo Roberto Costa foi condenado pelos crimes de corrupção e lavagem a penas somadas que atingem doze anos de reclusão e trezentos e quinze dias multa em regime fechado. Como celebrou acordo de delação premiada, ele cumprirá a condenação de outra forma.
(Estadão)

BARÃO DE MAUÁ - NOVO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO BARÃO EAD


Polo Sigma - Telefones : (35) 3232-4316 / 3235-1992

PF indicia Marcelo Odebrecht por corrupção, lavagem e fraude

O indiciamento considera como principais apontamentos desvios em obras da Refinaria Abreu e Lima e no Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro (Comperj), em que a Odebrecht participou em consórcios formados com outras empreiteiras do cartel denunciado
A Polícia Federal indiciou o empresário Marcelo Bahia Odebrecht, presidente da maior empreiteira do país, por corrupção, lavagem de ativos, fraude a licitações e crime contra a ordem econômica, supostamente praticados em contratos da Petrobras.
Em relatório de 64 páginas, o delegado Eduardo Mauat da Silva atribui os mesmos crimes a outros dirigentes da companhia Rogério Santos de Araújo, Alexandrino de Salles de Alencar, Márcio Faria da Silva, Cesar Ramos Rocha, afastados após serem presos. O agente público da Petrobras Celso Araripe de Oliveira e os executivos Eduardo de Oliveira Freitas Filho e João Antonio Bernardi Filho também foram indiciados.
Odebrecht e outros investigados foram presos no dia 19 de junho, quando deflagrada a Operação Erga Omnes, 14.ª etapa da Operação Lava Jato. O inquérito contra a cúpula da empreiteira foi aberto dia 27 de outubro de 2014, após a deflagração da Juízo Final, fase da Lava Jato que pegou o cartel instalado na Petrobras. O relatório será agora submetido ao Ministério Público Federal para eventual oferecimento de denúncia contra Odebrecht e os outros indiciados.
O delegado representou, "com base nos elementos existentes neste caderno investigatório e sumariamente trazidos nesta oportunidade, pela manutenção da prisão preventiva dos investigados Rogério Santos de Araujo, Alexandrino de Salles Ramos de Alencar, Marcio Faria da Silva, Cesar Ramos Rocha, Marcelo Bahia Odebrecht, nos termos dos artigos 311,312 e 313, I do Código Penal, face a necessária garantia da ordem pública e por conveniência da instrução criminal tanto em face a potencial continuidade delitiva como pela influência negativa que soltos poderiam promover quanto as apurações ainda em curso".
Segundo a PF, "quanto a Marcelo Bahia Odebrecht, além do caso específico das sondas, o material trazido aos autos aponta para o seu conhecimento e participação direta nas condutas atribuídas aos demais investigados, tendo buscado, segundo se depreende, obstaculizar as investigações'. A PF atribui ao empresário preso 'doações e pagamentos diretos'. e 'influência junto a instituições inclusive o Judiciário'.
"Cabe ainda examinar qual teria sido a postura de Marcelo Odebrecht acerca do que envolve a participação da empresa nos ilícitos investigados na Operação Lava Jato. E esse panorama pode ser depreendido com certa segurança a partir das notações feitas pelo próprio em seu telefone e que constam do Relatório 417/2015. Ali podemos constatar referências a nomes de autoridades públicas, doações e 'pagamentos diretos', influência junto a instituições (inclusive o Judiciário) sendo tais assuntos tratados em meio aos interesses comerciais do grupo empresarial."
O indiciamento considera como principais apontamentos desvios em obras da Refinaria Abreu e Lima, em Pernambuco, e no Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro (Comperj), em que a
Odebrecht participou em consórcios formados com outras empreiteiras do cartel denunciado pela Lava Jato.
O relatório final da PF com indiciamento do presidente da Odebrecht e seus executivos, apesar de não tratar sobre o episódio de apreensão de um bilhete entregue pelo alvo para seus advogados, após sua prisão, com os dizeres "destrua e-mail sondas", cita o caso.
"Em que pese o caso esteja sendo tratado em outro apuratório, observamos que a destruição de e-mails relativos as sondas poderia ser aplicada a caixa de e-mails do mesmo titular, Roberto Prisco Ramos, e cujos arquivos ainda não haviam sido entregues na data em que Marcelo teria dado a ordem aos seus advogados", informa a PF.
A polícia aponta ainda indícios de que os dirigentes da Odebrecht não só sabiam dos supostos esquemas de irregularidades como queriam confrontar as investigações. "Verifica-se ainda as ideias do dirigente acerca da Operação Lava Jato, o que demonstra que o mesmo não apenas tinha pleno conhecimento das irregularidades que envolviam o Grupo Odebrecht como pretendia adotar uma postura de confronto em face à apuração".
"Marcelo Bahia Odebrecht além do caso específico das sondas, o material trazido aos autos aponta para o seu conhecimento e participação direta nas condutas atribuídas aos demais investigados, tendo buscado, segundo se depreende, obstaculizar as investigações", sustenta o delegado.
(O Tempo)