Translate

sábado, 25 de outubro de 2014

MINHA OPINIÃO: O DEBATE E O MEU VOTO

Bem leitores e amigos: ontem (24) assistimos ao último e mais importante dos debates que antecederam as eleições de amanhã. Com todas as dificuldades que um programa desse tipo oferece aos próprios candidatos e ao grande público eleitor certamente o debate da Globo foi útil aos indecisos. Como este Blog do Paulão é pessoal e felizmente está tendo seguidamente picos de acessos diários que ultrapassam a marca de 4.000 visualizações, e como formador de opinião não posso ficar na cômoda posição de falar em anular o meu voto ou votar em branco, justificando que todos roubam, etc... etc...


Há anos estamos assistindo um espetáculo dantesco, onde um País aparelhado vem dando um triste espetáculo ao resto do mundo. Fortunas são construídas da noite para o dia. Falar em contas milionárias no exterior, com origem no dinheiro da corrupção, se tornou coisa normal, natural e aceito pela população passivamente, como nos tempos do Ademarismo, onde o governador de São Paulo, Ademar de Barros, lançou o bordão “eu roubo, mas faço”, mais recentemente encampado pelo Paulo Maluf. Aliás, quis a ironia do destino que a então revolucionária Dilma Rousseff estourasse uma das residências do Ademar de Barros e levasse dali, com seus companheiros, um cofre contendo milhares de dólares – que mais tarde deu briga entre eles na destinação do dinheiro-e isso é história do Brasil, está registrado em livros. 

Os exemplos? Vamos trazer a situação para bem próximo a nós. O mal intencionado, com formação moral defeituosa quando chega ao poder em qualquer município brasileiro a sua primeira providência é se cercar de bons advogados e o motivo é simples: até então ninguém viu um corrupto ser punido. O exemplo vem de cima. Os mensaleiros, graças às indicações políticas de ministros do STF, já estão em casa. Eles sabem que os advogados vão tudo protelar, protelar e protelar...

Desta forma, o que vem ocorrendo em Três Corações é reflexo do que acontece no governo federal. Temos o advogado do grupo SIM como secretário municipal de Controle Interno, Sr. Abrahão de tal. Esse grupo ficou famoso na crônica política policial ao intermediar para políticos desonestos o desvio de recursos do FPM que é a mais importante fonte de recursos que um município dispõe. Isso tudo está registrado; é só o leitor acessar o Google. Essa mesma administração Cláudio/Ulisses/Cosme acabou de contratar um conceituado e insuspeito escritório de advocacia especializado, já pensando em defesa futura, e nós estamos pagando. É muito descaramento.

Ainda nesse diapasão e para não muito se alongar sabemos que meninos e jovens carentes assistem nos noticiários e vêm políticos milionários com mansões, iates, lindas mulheres, aviões, etc... e olham a pobreza ao seu redor... O exemplo vem de cima. Esses meninos e jovens se não tiverem uma sólida formação familiar vão sem dúvida para o crime, e é exatamente o que muitos fazem. Para eles o crime compensa, mesmo sabendo que terão a vida abreviada. E assim o País nunca será uma Nação, unido.

Eu tenho amigos petistas, e alguns deles muito queridos, e também já votei em Lula como milhões de brasileiros fizeram. Foi um erro! Não voto em Dilma Rousseff, e tenho para comigo que ela não tem estrutura moral e intelectual para governar uma Nação. É somente um burlesco poste do Lula; temos que buscar novos caminhos e cobrar, sair desse inconformismo a exemplo do povo judeu que um dia caminhou como cordeiro rumo ao extermínio das câmaras de gás, acreditando até o fim que o holocausto não existia. Temos que sair dessa axfixia!

Abraços
Paulão

sexta-feira, 24 de outubro de 2014

PRAIA É O REFÚGIO DE LÉO CASCAVEL E ALEXANDRE FONSECA

Para encerrar a noite nada como noticiar um mereceido descanso, um relax nas praias, afinal, nenhum trabalhador é de ferro. Assim, noticiamos que o Léo Cascavel e o Alexandre Fonseca (chefe dos veículos e contratado indicado pelo vereador Quati), segundo comentam, estão a caminho de Ubatuba, especialmente para curtirem o dia do Servidor Público.
Um merecido repouso, não é verdade?

REVISTA VEJA RESPONDE A FALA DA DILMA

A resposta de VEJA

Sobre a fala da presidente no horário eleitoral

A presidente Dilma Rousseff, candidata à reeleição, ocupou parte de seu horário eleitoral para criticar VEJA, em especial a reportagem de capa desta semana. Em respeito aos nossos leitores, VEJA considera essencial fazer as seguintes correções e considerações:
1) Antecipar a publicação da revista às vésperas de eleições presidenciais não é exceção. Em quatro das últimas cinco eleições presidenciais, VEJA circulou antecipadamente, no primeiro turno ou no segundo.
2) Os fatos narrados na reportagem de capa desta semana ocorreram na terça-feira. Nossa apuração sobre eles começou na própria terça-feira, mas só atingiu o grau de certeza e a clareza necessária para publicação na tarde de quinta-feira passada.
3) A presidente centrou suas críticas no mensageiro, quando, na verdade, o cerne do problema foi produzido pelos fatos degradantes ocorridos na Petrobras nesse governo e no de seu antecessor.
4) Os fatos são teimosos e não escolhem a hora de acontecer. Eles seriam os mesmos se VEJA os tivesse publicado antes ou depois das eleições.
5) Parece evidente que o corolário de ver nos fatos narrados por VEJA um efeito eleitoral por terem vindo a público antes das eleições é reconhecer que temeridade mesmo seria tê-los escondido até o fechamento das urnas.
6) VEJA reconhece que a presidente Dilma é, como ela disse, “uma defensora intransigente da liberdade de imprensa” e espera que essa sua qualidade de estadista não seja abalada quando aquela liberdade permite a revelação de fatos que lhe possam ser pessoal ou eleitoralmente prejudiciais.

EIS A POLÊMICA A MATÉRIA DA REVISTA VEJA

Petrobras

Youssef: “O Planalto sabia de de tudo!” Delegado: “Quem do Planalto?” Youssef: “Lula e Dilma”

O doleiro Alberto Youssef afirma em depoimento à Polícia Federal que o ex e a atual presidente da República não só conheciam como também usavam o esquema de corrupção na Petrobras

Robson Bonin
EM VÍDEO - As declarações de Youssef sobre Lula e Dilma foram prestadas na presença de um delegado, um procurador da República e do advogado
EM VÍDEO - As declarações de Youssef sobre Lula e Dilma foram prestadas na presença de um delegado, um procurador da República e do advogado (Ilustração Lézio Jr./VEJA)
A Carta ao Leitor desta edição termina com uma observação altamente relevante a respeito do dever jornalístico de publicar a reportagem a seguir às vésperas da votação em segundo turno das eleições presidenciais: “Basta imaginar a temeridade que seria não publicá-la para avaliar a gravidade e a necessidade do cumprimento desse dever”. VEJA não publica reportagens com a intenção de diminuir ou aumentar as chances de vitória desse ou daquele candidato. VEJApublica fatos com o objetivo de aumentar o grau de informação de seus leitores sobre eventos relevantes, que, como se sabe, não escolhem o momento para acontecer. Os episódios narrados nesta reportagem foram relatados por seu autor, o doleiro Alberto Youssef, e anexados a seu processo de delação premiada. Cedo ou tarde os depoimentos de Youssef virão a público em seu trajeto na Justiça rumo ao Supremo Tribunal Federal (STF), foro adequado para o julgamento de parlamentares e autoridades citados por ele e contra os quais garantiu às autoridades ter provas. Só então se poderá ter certeza jurídica de que as pessoas acusadas são ou não culpadas.
Na última terça-feira, o doleiro Alberto Youssef entrou na sala de interrogatórios da Polícia Federal em Curitiba para prestar mais um depoimento em seu processo de delação premiada. Como faz desde o dia 29 de setembro, sentou-se ao lado de seu advogado, colocou os braços sobre a mesa, olhou para a câmera posicionada à sua frente e se pôs à disposição das autoridades para contar tudo o que fez, viu e ouviu enquanto comandou um esquema de lavagem de dinheiro suspeito de movimentar 10 bilhões de reais. A temporada na cadeia produziu mudanças profundas em Youssef. Encarcerado des­de março, o doleiro está bem mais magro, tem o rosto pálido, a cabeça raspada e não cultiva mais a barba. O estado de espírito também é outro. Antes afeito às sombras e ao silêncio, Youssef mostra desassombro para denunciar, apontar e distribuir responsabilidades na camarilha que assaltou durante quase uma década os cofres da Petrobras. Com a autoridade de quem atuava como o banco clandestino do esquema, ele adicionou novos personagens à trama criminosa, que agora atinge o topo da República.
Comparsa de Youssef na pilhagem da maior empresa brasileira, o ex-diretor Paulo Roberto Costa já declarara aos policiais e procuradores que nos governos do PT a estatal foi usada para financiar as campanhas do partido e comprar a fidelidade de legendas aliadas. Parte da lista de corrompidos já veio a público. Faltava clarear o lado dos corruptores. Na ter­ça-feira, Youssef apre­sentou o pon­­to até agora mais “estarrecedor” — para usar uma expressão cara à pre­sidente Dilma Rous­seff — de sua delação premiada. Perguntado sobre o nível de comprometimento de autoridades no esquema de corrupção na Petrobras, o doleiro foi taxativo:
— O Planalto sabia de tudo!
— Mas quem no Planalto? — perguntou o delegado.
— Lula e Dilma — respondeu o doleiro.
Para conseguir os benefícios de um acordo de delação premiada, o criminoso atrai para si o ônus da prova. É de seu interesse, portanto, que não falsifique os fatos. Essa é a regra que Yous­sef aceitou. O doleiro não apresentou — e nem lhe foram pedidas — provas do que disse. Por enquanto, nesta fase do processo, o que mais interessa aos delegados é ter certeza de que o de­poente atuou diretamente ou pelo menos presenciou ilegalidades. Ou seja, querem estar certos de que não lidam com um fabulador ou alguém interessado apenas em ganhar tempo for­necendo pistas falsas e fazendo acu­sações ao léu. Youssef está se saindo bem e, a exemplo do que se passou com Paulo Roberto Costa, o ex-diretor da Petrobras, tudo indica que seu processo de delação premiada será homologado pelo Supremo Tribunal Federal (STF). Na semana passada, ele aumentou de cerca de trinta para cinquenta o número de políticos e autoridades que se valiam da corrupção na Petrobras para financiar suas campanhas eleitorais. Aos investigadores, Youssef detalhou seu papel de caixa do esquema, sua rotina de visitas aos gabinetes poderosos no Executivo e no Legislativo para tratar, em bom português, das operações de lavagem de dinheiro sujo obtido em transações tenebrosas na estatal. Cabia a ele expatriar e trazer de volta o dinheiro quando os envolvidos precisassem.
Uma vez feito o acordo, Youssef terá de entregar o que prometeu na fa­se atual da investigação. Ele já con­tou que pagava em nome do PT mesadas de 100 000 a 150 000 reais a ­parlamentares aliados ao partido no Congresso. Citou nominalmente a ex-mi­nistra da Casa Civil Gleisi Hoff­mann, a quem ele teria repassado 1 mi­lhão de reais em 2010. Youssef disse que o dinheiro foi entregue em um shopping de Curitiba. A senadora ne­gou ter sido beneficiada.
Entre as muitas outras histórias consideradas convincentes pelos investigadores e que ajudam a determinar a alta posição do doleiro no esquema — e, consequentemente, sua relevância pa­ra a investigação —, estão lembranças de discussões telefônicas entre Lula e o ex-deputado José Janene, à época líder do PP, sobre a nomeação de operadores do partido para cargos estratégicos do governo. Youssef relatou um episódio ocorrido, segundo ele, no fim do governo Lula. De acordo com o doleiro, ele foi convocado pelo então presidente da Petrobras, Sergio Gabrielli, para acalmar uma empresa de publicidade que ameaçava explodir o esquema de corrupção na estatal. A empresa quei­xa­va-­se de que, depois de pagar de forma antecipada a propina aos políticos, tive­ra seu contrato rescindido. Homem da confiança de Lula, Gabrielli, segundo o doleiro, determinou a Youssef que captasse 1 milhão de reais entre as empreiteiras que participavam do petrolão a fim de comprar o silêncio da empresa de publicidade. E assim foi feito.
Gabrielli poderia ter realizado toda essa manobra sem que Lula soubesse? O fato de ter ocorrido no governo Dilma é uma prova de que ela estava conivente com as lambanças da turma da estatal? Obviamente, não se pode condenar Lula e Dilma com base apenas nessa narrativa. Não é disso que se trata. Youssef simplesmente convenceu os investigadores de que tem condições de obter provas do que afirmou a respeito de a operação não poder ter existido sem o conhecimento de Lula e Dilma — seja pelos valores envolvidos, seja pelo contato constante de Paulo Roberto Costa com ambos, seja pelas operações de câmbio que fazia em favor de aliados do PT e de tesoureiros do partido, seja, principalmente, pelo fato de que altos cargos da Petrobras envolvidos no esquema mudavam de dono a partir de ordens do Planalto.
Os policiais estão impressionados com a fartura de detalhes narrados por Youssef com base, por enquanto, em sua memória. “O Vaccari está enterrado”, comentou um dos interrogadores, referindo-se ao que o do­leiro já narrou sobre sua parceria com o tesoureiro nacional do PT, João Vaccari Neto. O doleiro se comprometeu a mostrar documentos que comprovam pelo menos dois pagamentos a Vaccari. O dinheiro, desviado dos cofres da Petrobras, teria sido repassado a partir de transações simuladas entre clientes do banco clandestino de Youssef e uma empresa de fachada criada por Vaccari. O doleiro preso disse que as provas desses e de outros pagamentos estão guardadas em um arquivo com mais de 10 000 notas fiscais que serão apresentadas por ele como evidências. Nesse tesouro do crime organizado, segundo Youssef, está a prova de uma das revelações mais extraordinárias prometidas por ele, sobre a qual já falou aos investigadores: o número das contas secretas do PT que ele operava em nome do partido em paraísos fiscais. Youssef se comprometeu a ajudar a PF a localizar as datas e os valores das operações que teria feito por instrução da cúpula do PT.
Depois da homologação da de­lação premiada, que parece assegurada pelo que ele disse até a semana passada, Youssef terá de apresentar à Justiça mais do que versões de episódios públicos envolvendo a presidente. Pela posição-chave de Youssef no esquema, os investigadores estão con­fiantes em que ele produzirá as provas necessárias para a investigação prosseguir. Na semana que vem, Alberto Youssef terá a oportunidade de relatar um episódio ocorrido em março deste ano, poucos dias antes de ser preso. Youssef dirá que um integrante da ­coor­­denação da campanha presidencial do PT que ele conhecia pelo nome de “Felipe” lhe telefonou para marcar um encontro pessoal e adiantou o assunto: repatriar 20 milhões de reais que seriam usados na cam­panha presidencial de Dilma Rous­seff. Depois de verificar a origem do telefonema, Youssef marcou o encontro que nunca se concretizou por ele ter se tornado hóspede da Polícia Federal em Curitiba. Procurados, os defensores do doleiro não quiseram comentar as revelações de Youssef, justificando que o processo corre em segredo de Justiça. Pelo que já contou e pelo que promete ainda entregar aos investigadores, Youssef está materializando sua amea­ça velada feita dias atrás de que iria “chocar o país”.
DINHEIRO PARA O PT 
Lula Marques/Folhapress/VEJA
Alberto Youssef também voltou a detalhar os negócios que mantinha com o tesoureiro nacional do PT, João Vaccari Neto, homem forte da campanha de Dilma e conselheiro da Itaipu Binacional. Além de tratar dos interesses partidários com o dirigente petista, o doleiro confi rmou aos investigadores ter feito pelo menos duas grandes transferências de recursos a Vaccari. O dinheiro, de acordo com o relato, foi repassado a partir de uma simulação de negócios entre grandes companhias e uma empresa-fantasma registrada em nome de laranjas mas criada pelo próprio Vaccari para ocultar as operações. Ele nega

ENTREGA NO SHOPPING
Sérgio Lima/Folhapress/VEJA
Alberto Youssef confirmou aos investigadores o que disse o ex-diretor de Abastecimento da Petrobras Paulo Roberto Costa sobre o dinheiro desviado da estatal para a campanha da exministra da Casa Civil Gleisi Hoffmann (PT-PR) ao Senado, em 2010. Segundo ele, o repasse dos recursos para a senadora petista, no valor de 1 milhão de reais, foi executado em quatro parcelas. As entregas de dinheiro foram feitas em um shopping center no centro de Curitiba. Intermediários enviados por ambos entregaram e receberam os pacotes. Em nota, a senadora disse que não recebeu nenhuma doação de campanha nem conhece Paulo Roberto Costa ou Alberto Youssef

ELE TAMBÉM SABIA
Sérgio Lima/Folhapress/VEJA
Durante o segundo mandato de Lula, o doleiro contou que foi chamado pelo presidente da Petrobras, José sergio Gabrielli, para tratar de um assunto que preocupava o Planalto. Uma das empresas com contratos de publicidade na estatal ameaçava revelar o esquema de cobrança de pedágio. Motivo: depois de pagar propina antecipadamente, a empresa teve seu contrato rescindido. Ameaçado pelo proprietário, Gabrielli pediu ao doleiro que captasse 1 milhão de reais com as empreiteiras do esquema e devolvesse a quantia à empresa de publicidade. Gabrielli não quis se pronunciar

CONTAS SECRETAS NO EXTERIOR
VEJA
Desde que Duda Mendonça, o marqueteiro da campanha de Lula em 2002, admitiu na CPI dos Correios ter recebido pagamentos de campanha no exterior (10 milhões de dólares), pairam sobre o partido suspeitas concretas da existência de dinheiro escondido em paraísos fi scais. Para os interrogadores de Alberto Youssef, no entanto, essas dúvidas estão começando a se transformar em certeza. O doleiro não apenas confi rmou a existência das contas do PT no exterior como se diz capaz de ajudar a identifi cá-las, fornecendo detalhes de operações realizadas, o número e a localização de algumas delas.

UM PERSONAGEM AINDA OCULTO
VEJA
O doleiro narrou a um interlocutor que seu esquema criminoso por pouco não atuou na campanha presidencial deste ano. Nos primeiros dias de março, Youssef recebeu a ligação de um homem, identifi cado por ele apenas como “Felipe”, integrante da cúpula de campanha do PT. Ele queria os serviços de Youssef para repatriar 20 milhões de reais que seriam usados no caixa eleitoral. Youssef disse que chegou a marcar uma segunda conversa para tratar da operação, mas o negócio não foi adiante porque ele foi preso dias depois. Esse trecho ainda não foi formalizado às autoridades.

Crédito: Broglio/AP/VEJA
ATÉ A MÁFIA FALOU - Tommaso Buscetta, o primeiro mafi oso a fazer delação premiada. Na Sicília, seu sobrenome virou xingamento
​Quem delata pode mentir?
Alexandre Hisayasu
A delação premiada tem uma regra de ouro: quem a pleiteia não pode mentir. Se, em qualquer momento, fi car provado que o delator não contou a verdade, os benefícios que recebeu como parte do acordo, como a liberdade provisória, são imediatamente suspensos e ele fica sujeito a ter sua pena de prisão aumentada em até quatro anos.
Para ter validade, a delação premiada precisa ser combinada com o Ministério Público e homologada pela Justiça. O doleiro Alberto Youssef assinou o acordo com o MP no fi m de setembro. Desde então, vem dando depoimentos diários aos procuradores que investigam o caso Petrobras. Se suas informações forem consideradas relevantes e consistentes, a Justiça - nesse caso, o Supremo Tribunal Federal, já que o doleiro mencionou políticos - homologará o acordo e Youssef será posto em liberdade, como já ocorreu com outro delator envolvido no mesmo caso, Paulo Roberto Costa. O ex-diretor da Petrobras deu detalhes ao Ministério Público e à Polícia Federal sobre o funcionamento do esquema milionário de pagamento de propinas que funcionava na estatal e benefi ciava políticos de partidos da base aliada do governo. Ele já deixou a cadeia e aguarda o julgamento em liberdade. O doleiro continua preso.
Até o ano passado, a lei brasileira previa que o delator só poderia usufruir os benefícios do acordo de delação ao fi m do processo com o qual havia colaborado - e se o juiz assim decidisse. Ou seja, apenas depois que aqueles que ele tivesse incriminado fossem julgados é que a Justiça resolveria se o delator mereceria ganhar a liberdade. Desde agosto de 2013, no entanto, esses benefícios passaram a valer imediatamente depois da homologação do acordo. “Foi uma forma de estimular a prática. Você deixa de punir o peixe pequeno para pegar o grande”, diz o promotor Arthur Lemos Júnior, que participou da elaboração da nova lei.
Mais famoso - e prolífero - delator da história recente, o mafi oso Tommaso Buscetta levou à cadeia cerca de 300 comparsas. Preso no Brasil em 1983, fechou acordo com a Justiça italiana e foi peça-chave na Operação Mãos Limpas, responsável pelo desmonte da máfi a siciliana. Depois disso, conseguiu proteção para ele e a família e viveu livre nos Estados Unidos até sua morte, em 2000.

ISTOÉ MONTA HISTÓRICO DAS CALÚNIAS PETISTAS CONTRA AÉCIO

REVISTA DETALHA TÁTICAS DE DIFAMAÇÃO UTILIZADAS PELO PT
Lula Dilma Capa Istoe copy
Revista monta histórico de “mentiras” repetidas pelo PT para aterrorizar eleitores
A reportagem de capa da Istoé faz um histórico do modo PT de fazer campanha quando se sente ameaçado. De acordo com a revista, o partido esqueceu a frase de Duda Mendonça, criador do vitorioso “Lulinha paz e amor” em 2002. Ele disse que “a democracia amadureceu e agora quem bate perde”, mas Dilma e Lula elevaram as calúnias contra adversários a um nível nunca antes visto. A revista fala do aparelhamento usado para manipular dados e esconder indicadores que prejudiquem a candidatura oficial, atentando contra a credibilidade de instituições como o Ipea e o IBGE.
A difamação começou com bem remunerados militantes anônimos no Facebook, Twitter e WhatsApp, mas o próprio Lula e a presidenta Dilma viraram protagonistas após o 1º turno. Em BH, Lula disse que “a tática dele (Aécio) é a seguinte: vou partir para a agressão. Meu negócio com mulher é partir para cima agredindo”. Depois completou: “é comportamento de um filhinho de papai que sempre acha que os outros têm de fazer tudo para ele, que olha com nariz empinado”.
Isso tudo faria parte da estratégia de campanha, pois três dias depois, o centro de Belo Horizonte amanheceu com enormes cartazes perguntando: “Você vota em candidato que agride mulher?”. A tática é a mesma usada contra Marina Silva no 1º turno quando disseram que ela, por ser evangélica, ia proibir videogames e que seus seguranças chegaram a matar uma pessoa por ser gay.
Mesmo com um projeto para transformar o Bolsa Família em lei, Aécio sofre com afirmações de que ele irá acabar com o programa. Além de afirmar que um governo do PSDB significa o genocídio da juventude negra, no Nordeste Lula chegou ao absurdo de dizer que, caso eleito, o candidato tucano e seu partido tratariam os nordestinos como os nazistas fizeram com os judeus e seriam mais intolerantes que Herodes, que mandou matar Jesus.
A Istoé afirma que o terror é espalhado em todas as áreas e, apesar de o programa de governo de Aécio apontar o fortalecimento de instituições públicas como Banco do Brasil, Caixa, Petrobras e Correios, as acusações são de que ele irá privatizá-las.

O DOLEIRO YOUSSEF, DILMA E LULA E A CORRUPÇÃO NA PETROBRAS

Campanha de Aécio estuda entrar com ação para pedir apuração sobre denúncia de Youssef contra Dilma e Lula

Segundo reportagem da revista 'Veja', doleiro teria dito em delação premiada ao MP e à PF que os dois sabiam de 'tudo' em relação ao esquema de corrupção na Petrobras.

Dilma classifica de 'crime' e 'terrorismo eleitoral' reportagem de 'Veja'
Segundo a presidente, publicação excedeu todos os limites da decência e da falta de ética, envergonha a imprensa e agride tradição democrática do país ao publicar reportagem com denúncias de Alberto Youssef.


TRÊS CORAÇÕES: PROMOTOR DE JUSTIÇA, DR. VITOR HUGO, NO COMBATE À CORRUPÇÃO NA PREFEITURA

Como este Blog vem denunciando em suas postagens acerca da corrupção que grassa na Prefeitura de Três Corações, o Promotor de Justiça desta Comarca, Dr. Vitor Hugo, terminou hoje com a oitiva dos depoentes pela promotoria intimados.
Segundo apuração deste Blog, os depoentes ouvidos pouco comentaram sob o teor de seus depoimentos, no entanto, ficaram impressionados com a determinação do Promotor Vitor Hugo em realmente investigar tudo o que vem ocorrendo não só no almoxarifado da Prefeitura, eis que a investigação está indo muito mais além, inclusive com envolvidos importantes fora da prefeitura que de alguma forma dão apoio aos investigados.
Os depoentes ouvidos ficaram com a certeza de que não serão denunciados somente pobres, como muito se repete neste país. A coisa aqui é forte, fazendo jus à frase registrada em postagem anterior: "o que está sendo feito aqui em Três Corações fará a Operação Metástase 57 parecer brincadeira".

PESQUISA SENSUS: AÉCIO TEM 54,6% DOS VOTOS VÁLIDOS E DILMA 45,4%

A pesquisa também mostra que, a dois dias da eleição, 11,9% do eleitorado ainda não sabe em quem votar
São Paulo - Pesquisa IstoÉ Sensus divulgada nesta sexta-feira mostra o candidato do PSDB à Presidência, Aécio Neves, nove pontos à frente da adversária Dilma Rousseff (PT). O tucano aparece com 54,6% das intenções de votos válidos, contra 45,4% de Dilma. A pesquisa também mostra que, a dois dias da eleição, 11,9% do eleitorado ainda não sabe em quem votar. Se for considerado o número total de votos, a pesquisa indica que Aécio tem 48,1% e Dilma, 40%.
O instituto Sensus mediu também a rejeição dos candidatos e aponta que 44,2% dos eleitores afirmaram que não votariam de forma alguma em Dilma, enquanto 33,7% disseram o mesmo de Aécio. O Sensus entrevistou 2 mil eleitores de 136 municípios em 24 Estados entre os dias 21 e 24 de outubro. A pesquisa tem margem de erro de 2,2 pontos porcentuais, para mais ou para menos, e nível de confiança de 95%. O levantamento está registrado no Tribunal Superior Eleitoral sob o protocolo BR-01166/2014.

FRASE OUVIDA NOS CORREDORES DO FÓRUM DA COMARCA DE TRÊS CORAÇÕES

"O que será feito fará com que a 
Operação Metástase 57 pareça brincadeira"

INTERNET FORA DO AR

Bem leitores e amigos. A internet ficou fora do ar para reparo na antena; logo mais atualizo as postagens

LULA E DILMA SÃO CITADOS EM DEPOIMENTO DO DOLEIRO YOUSSEF À POLÍCIA FEDERAL


A revista Veja, que chega às bancas nesta sexta-feira, traz mais revelações sobre a investigação em andamento em Curitiba na Operação Lava-Jato, que investiga casos de corrupção na Petrobras. Em depoimento prestado na última terça-feira, o doleiro Alberto Youssef disse à Polícia Federal que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e a presidente Dilma Rousseff (PT) sabiam do suposto esquema de corrupção na estatal. Segundo a revista, ao ser perguntado sobre o nível de comprometimento de autoridades no esquema de corrupção na Petrobras, o doleiro foi taxativo:

— O Planalto sabia de tudo!
— Mas quem no Planalto?, perguntou o delegado.
— Lula e Dilma, respondeu o doleiro.

De acordo com o ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa, políticos do PT, PMDB e PP recebiam propina de construtoras em contratos superfaturados. Até o fechamento desta matéria, a campanha petista não havia se pronunciado sobre o assunto.
A divulgação na quarta-feira de trecho do depoimento do doleiro movimentou as redes sociais. O presidente do PPS, Roberto Freire, postou, no Twitter, que Youssef “confirma o que todo brasileiro sabia ou desconfiava”. Já o deputado Rubens Bueno (PR), líder do PPS, afirma que tinha conhecimento da extensão da corrupção. “Na verdade, eu sempre disse que tinha uma quadrilha instalada. A gente tinha de chegar ao chefe da quadrilha. Não tenho dúvida que vai ter impacto nas eleições e no mundo jurídico e político. Se aconteceu, cabe uma serie de providências junto a tribunais do país. Temos que analisar com calma e equilíbrio, porque ninguém pode manter um aparelho de estado desse tamanho, impunemente”, disse Bueno.
O líder do PSDB na Câmara, Antonio Imbassahy (BA), disse que é “impensável para qualquer brasileiro imaginar que a presidente Dilma não soubesse de nada do que estava acontecendo na Petrobras como ela vinha afirmando”. “É uma denúncia gravíssima e que abala as estruturas da República”, completou.
“Não vai ser dessa vez que vão enganar o povo brasileiro com denúncias sem provas”, publicou a Coordenação de Redes Sociais do PT, em sua conta no Twitter.
(Correio Brasiliense)

quinta-feira, 23 de outubro de 2014

MINISTROS GILMAR MENDES E O TRICORDIANO JOÃO OTÁVIO NORONHA E A PERGUNTA: SERÁ QUE LULA TERIA PASSADO EM TESTE DO BAFÔMETRO NO SEU DISCURSO EM BH?

MINISTRO JOÃO OTÁVIO NORONHA
BRASÍLIA - Em meio ao debate no julgamento de representação contra a propaganda da presidente Dilma Rousseff por uso de um discurso do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva contra o candidato Aécio Neves, na noite desta terça-feira, ministros do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) não se contiveram e usaram de ironia para se contraporem às declarações do ex-presidente. Estava em julgamento o discurso feito por Lula em palanque em Belo Horizonte (MG) no qual, entre outras coisas, o ex-presidente pergunta onde estaria Aécio Neves quando a jovem Dilma Rousseff estava presa, lutando pela democracia no país.


Num tom irônico, o ministro Gilmar Mendes, depois de ouvir que à época Aécio teria 10 anos de idade, comentou que Lula não teria passado pelo bafômetro antes de dar tais declarações, provocando risos no ministro João Otávio de Noronha, que votava. Noronha fez questão de dividir com os colegas o comentário. Mas, cauteloso, acrescentou logo em seguida que não seria adequado seguir por esse caminho para também não baixar o nível do debate na Corte.

— O ministro Gilmar disse aqui se ninguém perguntou se o candidato, não o candidato, mas quem afirma (Lula), passou pelo bafômetro antes de fazer tal declaração. Mas, isso aí vamos cair no mesmo nível... — disse Noronha.
Gilmar fez o comentário quando Noronha lia a declaração de Lula que considerou mais ofensiva a Aécio. No discurso de Lula, usado pela campanha de Dilma no programa eleitoral, logo depois de perguntar onde estaria Aécio quando Dilma lutava pela democracia, foi dito que o comportamento de Aécio não seria o comportamento de um candidato ou de alguém que tem responsabilidade, mas de um "filhinho de papai". O ministro Noronha, ao ler este trecho da representação, comentou que Aécio teria 10 anos à época, ou seja, que não teria como se cobrar responsabilidade de alguém com 10 anos e que, por isso, o uso desse trecho das declarações de Lula no programa em nada contribuiriam para a propaganda eleitoral. Foi neste momento que Gilmar Mendes comentou:
E nem passou pelo bafômetro antes de falar isso...
O julgamento desse recurso do PSDB já começou em tom elevado, com a defesa contundente feita pelo advogado Caputo Bastos que criticou duramente a fala de Lula, classificando a comparação entre a atuação de Dilma e de Aécio durante a luta contra o regime militar como algo "patético".
— É mera conta matemática. Com todas as vênias que merece o ex-presidente, isso não é crítica política, é ofensa pessoal.
O advogado da campanha de Dilma, Ministro Arnaldo Versiani, tentou amenizar o problema, afirmando que as declarações tinham sido dadas no calor do palanque. O procurador-geral eleitoral da República, Rodrigo Janot, concordou e enfatizou que o Ministério Público estava com dificuldades de traçar os limites do que é possível ou não é possível na propaganda, depois da decisão da semana passada do TSE para barrar o que considerou baixo nível nos programas. O relator do recurso, Admar Gonzaga, considerou ofensivo o uso da fala em que Aécio é chamado do filhinho de papai.
SER AMIGO DE BANQUEIRO NÃO É PROBLEMA, DIZ MINISTRO
Durante o julgamento, Gilmar Mendes também fez considerações sobre a atuação dos grupos pela democracia no Brasil. Segundo ele, muitos dos que lutavam defendiam a luta armada e eram filiados a partidos de regimes como o soviético, o chinês e o cubano. E que Lula não poderia tentar corroer a biografia de alguém, que naquela época, mal tinha saído do jardim da infância. O presidente do TSE, Dias Toffoli, também recorreu a livros recentes sobre o golpe de 64, em adendo à fala de Gilmar.
O PSDB conseguiu convencer todos os ministros de que o programa de Dilma extrapolou ao usar a fala de Lula e e tirar um minuto e 50 segundo do programa eleitoral da adversária. Além do debate sobre a participação de Aécio na luta contra o regime, os ministros também teceram comentários sobre o fato de Lula dizer que Aécio é amigo dos banqueiros. Para o ministro Noronha, dizer que é amigo de banqueiro não seria problema, seria a visão dele.
— Dizer que é amigo de banqueiro, ok, é a visão dele. E os banqueiros convivem muito bem aqui, com todos os regimes, os governos. No Brasil, ter talento, ficar rico é um insulto à sociedade — disse Noronha.
— Eu tenho um amigo banqueiro, ótimo caráter — acrescentou o relator do recurso, ministro Admar Gonzaga.
(fonte: O Globo)

DINHEIRO DESVIADO DA PETROBRAS CHEGAVA A YOUSSEF EM 24H

Crime perfeito: em depoimentos à Polícia Federal e ao Ministério Público, o doleiro Alberto Youssef relatou que as “doações legais” das empreiteiras foram a fórmula criada para esconder a propina
Crime perfeito: em depoimentos à Polícia Federal e ao Ministério Público, o doleiro Alberto Youssef relatou que as “doações legais” das empreiteiras foram a fórmula criada para esconder a propina

Laudo do Ministério Público Federal indica que valores repassados pela Petrobras para o consórcio CNCC, controlado pela Costrutora Camargo Corrêa, iam parar em apenas 24 horas na conta do doleiro Alberto Youssef. As informações são do site do jornal O Estado de S. Paulo. O documento, contudo, não imputa crimes às partes envolvidas na transação. A perícia do MP foi feita com base em duas planilhas da Petrobras – considera a estatal vítima da organização criminosa.
Investigação da Polícia Federal já mostrou que, de outubro de 2010 a dezembro de 2013, pelo menos 37,7 milhões de reais desviados da obra da refinaria Abreu e Lima, em Pernambuco, foram repassados a empresas do doleiro. O golpe foi aplicado da seguinte maneira: para repassar o dinheiro desviado, o consórcio responsável pela obra, liderado pela empreiteira Camargo Correa, simulou a contratação de serviços da empresa Sanko Sider. Esta, por sua vez, simulou a contração de duas empresas de Alberto Youssef. Ninguém prestou serviço algum. O dinheiro, na prática, saiu dos cofres da Petrobras para os corruptos que se alimentavam no caixa da estatal.
Essa triangulação, feita para dificultar uma eventual investigação, para dar certo, precisava do aval da Petrobras. As normas da estatal obrigam todos os prestadores de serviço a possuírem uma certificação concedida pela própria empresa – uma forma de garantir que participem dos negócios apenas pessoas jurídicas idôneas. A polícia descobriu que a Sanko Sider, a intermediária entre a empreiteira e o doleiro, operou durante oito anos com um certificado obtido de forma fraudulenta.
(Veja)

CÂMARA DOS VEREADORES DE TRÊS CORAÇÕES: "A CASA DO POVO"

Conversando com alguns amigos aparece a seguinte questão: Qual vereador vai entrar com um pedido de CPI contra a vereadora Regina do Nilo envolvida com o caso ainda muito mal explicado do carro da Câmara dos Vereadores dirigido chefe de Dpto Pessoal daquela "Casa do Povo" Cleiton que foi parado em uma blitz em São Lourenço?
E completam: Qual vereador vai pedir uma sindicância contra o mesmo Cleiton, e o diretor da "Casa do Povo" Buluca, que tudo permitiu.
E os leitores e amigos, o que acham?

EXPLICANDO A POSTAGEM ABAIXO

Os canalhas Altair Nogueira e Davi de Souza andam tripudiando com pessoas de minha família. Aos dois posso afirmar com segurança: preparem-se pelo que vem pela frente, e o que vem vai atingir não só esses dois pedófilos que, infelizmente, segmentos da sociedade ainda os toleram, mas da mesma forma os quadrilheiros que estão encastelados no executivo e legislativo de Três Corações. Sou avesso à violência, e preferi esperar, pois tinha plena certeza desde o início que a mão pesada da Lei, da Justiça, está sim entre nós. Esperem!

AS SOMBRAS DO MAL QUE AGEM EM UMA FRACA ADMINISTRAÇÃO

A assessoria do Cláudio, aquela que age nas sombras, mente ao tentar atribuir as dispensas de contratados e comissionados que estão ocorrendo na Prefeitura de Três Corações como se fosse iniciativa do prefeito para melhorar a sua imagem. 
Na cidade que há dois anos vem sendo vitimizada pela mentira, a vigarice, e a falta de escrúpulos, parece que está vacinada e essa conversa não mais cola.
Essa assessoria do mal até ressuscitou um jornal e com manchetes dúbias parecia que criticava todo mundo a esmo. Mas, lendo com paciência as ‘matérias’ na verdade esse jornal culpava todos pelo descalabro administrativo menos o prefeito, tido pelo jornal como bem intencionado e que estava sendo enganado por todos os comissionados e contratados. Em nenhum momento falou da corrupção e desmandos que acontece na prefeitura. O alvo preferido foi o secretário de Comunicação Átila Beck, de quem essa sombra quer desesperadamente o lugar.
O mesmo se viu quando jogou a falsa notícia que o concurso da Câmara poderia não se realizar, isso somente para atacar o Buluca de quem é desafeto. Lendo a notícia ali contém farto elogio a Regina do Nilo, classificada de honesta e competente. O mesmo jornal que antes a colocou sentada em uma latrina.
Então, sabe-se quem editou aquela edição: foi o ex-vereador renunciante, e acusado de abuso sexual de menor de idade, menor que não era prostituta como cruelmente querem fazer crer; era menor aprendiz, vindo de uma respeitada Associação para trabalhar na própria Câmara Municipal de Três Corações (e ali deve ter sido ‘iniciada’ por esse grupo de canalhas), como está claramente registrado no relatório da CPI de Brasília, e publicado em edição recente do jornal Folha do Sul.
Assim, o Cláudio e o ex-vereador renunciante se merecem.

Em tempo. A diminuição de contratados foi uma imposição do Ministério Público porque a folha de pagamento estava estourada e fora dos parâmetros legais. O prefeito não tinha opção, e coube ao Cláudio somente à escolha dos nomes, só isso. Por ele, sem noção, contrataria mais e mais.
A população tricordiana já tem uma opinião formada sobre o prefeito e suas sombras, que por sinal o levaram para o lado errado da encruzilhada, das sombras, tarefa até fácil, pois ele já tinha um pé lá.

quarta-feira, 22 de outubro de 2014

DOLEIRO NEGA TER NEGOCIADO COM PSDB

Alberto Youssef nega ter negociado com PSDB, diz advogado de defesa
Antônio Figueiredo Basto afirma que o cliente citou PP, PMDB e PT em depoimento, mas não o ex-presidente dos tucanos, Sérgio Guerra e pediu impugnação de fala de presidente da Labogen.

TRÊS CORAÇÕES: PREFEITO DÁ UM PICOLEZÃO PARA O LÚCIO K JÓIA CHUPAR

Pois é, nada como um dia após o outro... O prefeito Cláudio perdeu as rédeas de vez. A Procuradoria Municipal está executando a mãe do Lúcio K Jóia, dona Maria José, por atraso no IPTU e com isso pedindo o bloqueio de sua pensão.
E agora Lúcio? A festa está acabando?

Em tempo: o secretário Ulisses enviou e o Cláudio assinou uma Lei autorizando os advogados da Procuradoria a ganharem a sucumbência, ou seja, se condenados, os executados, como a mãe do vereador, teriam também que pagar os honorários a esses advogados. Essa lei foi aprovada pelos vereadores, entre eles o próprio Lúcio K.Jóia, menos o Dr. Maurício, e já está em vigor (tem até uma caixinha na procuradoria para repartir o dinheiro, como faz os garçons após o fechamento do restaurante). 
O Ministério Público, a pedido do vereador, já decretou sua ilegalidade. Agora, com esse caso, essa lei deve retornar e ser anulada a toque de caixa,

TRÊS CORAÇÕES: RÁDIO PEÃO NO AR COM NOTÍCIAS URGENTES

A famosa e ouvida Rádio Peão acaba de divulgar que ontem estiveram “visitando” o almoxarifado um Juiz, o Promotor Vitor Hugo e uma assessora da promotoria. Segundo a Rádio, eles conversaram com vários servidores e contratados; pediram detalhes como funciona o almoxarifado, e as providências com a chegada e saída dos veículos; perguntaram o que cada um faz e como o trabalho é realizado, e a quem estão diretamente subordinados. 
Na realidade eles estão colhendo provas sobre o desvio de dinheiro, material, peças, notas frias e superfaturadas etc... tudo como o Blog do Paulão vem noticiando. Tiraram várias fotos, e percorrem minuciosamente todo o local.
A Rádio Peão adiantou que aquele pessoal, como o Dênis, o Léo Cascável e o Alair Lima, chefe da oficina estão lívidos de medo. Eles, que também foram entrevistados pelo Juiz e Promotor.
Outra notícia urgente: a Rádio confirmou que neste momento está acontecendo uma reunião no setor administrativo da Prefeitura e várias pessoas estão sendo ouvidas, pessoas que têm provas da corrupção que ali está comendo solta.
Agora dificilmente o prefeito vai segurar os seus apaniguados, pois o dele e o do secretario Ulisses estão na reta, finalizou a Rádio Peão.

IBOPE: AÉCIO PASSA DILMA NO RIO GRANDE DO SUL

"Para cada ataque, uma proposta", diz Aécio
Aécio tem 48% das intenções de voto contra 42% de Dilma
Em empate técnico com Dilma até a semana passada, Aécio agora ultrapassou-a no Rio Grande do Sul para além da margem de erro da pesquisa.
Segundo a mais recente pesquisa do Ibope, Aécio tem 48% das intenções de voto (eram 44% na pesquisa anterior) contra 42% de Dilma (eram 43%). Votos nulos e brancos, 7%. Indecisos, 3%.
Levando-se em conta apenas os votos válidos, excluídos os brancos e nulos, Aécio cresceu dois pontos percentuais e tem 53%. Dilma oscilou dois pontos percentuais para menos e está com 47%.

TRÊS CORAÇÕES NÃO CUMPRIU NEM 30% DE SUA META DE MAMOGRAFIAS. EIS O MOTIVO DA VINDA DO CAMINHÃO MÓVEL

Bem leitores e amigos. Publicamos trechos de uma resposta via e-mail que a Secretaria Regional de Saúde (Varginha) enviou à leitora Márcia Reis, desta comuna, a respeito de indagações feitas a respeito das mamografias.

Os esclarecimentos vieram de forma rápida e precisos. A Unidade Móvel veio a Três Corações porque o município não cumpriu sequer com 30% do que deveria ter feito, no caso 4.725 e fez somente 1.006 mamografias, isso colocando em alto risco a saúde das mulheres tricordianas, haja vista a alta incidência e constante crescimento deste tipo de câncer. É muito triste um médico, como o prefeito de Três Corações, patrocinar algo tão triste, lamentável, e que atenta contra a saúde do povo, e por outro lado fica claro em outras ações que privilegia toda a sorte de corruptos como se vê em seu "governo".
Não é necessário nem falar dos vereadores que deveriam também fiscalizar a saúde no município. Em nada se diferem do prefeito; se depender dessa turma os tricordianos nunca terão uma saúde digna.

Parabéns a Márcia Reis pela iniciativa, e sugiro que o tricordiano passe a enviar suas agruras diretamente à Secretária Regional de Saúde no endereço eletrônico abaixo.



Prezada Senhora,

(...) Atendendo ao que está proposto no Programa Estadual de Prevenção e Controle do Câncer de Mama, as dez unidades móveis de mamografia do Governo de Minas Gerais atendem aos municípios que apresentam baixa cobertura no que se refere à esse tipo de exame. Essa premissa se aplica a Três Corações. O município foi escolhido para receber uma das unidades porque até agosto deste ano havia realizado apenas 1.006 mamografias, ou seja, menos que 30% de sua meta anual, estimada em 4.725 exames. 
Sobre a mudança no formato do atendimento, a SES-MG esclarece que a opção é pela mamografia feita por agendamento. O modelo anterior, que levava em conta a ordem de chegada das usuárias, mostrou-se inadequado, tendo em vista o limite de execução, que é de 50 mamografias/dia (25 de manhã e 25 à tarde). O formato atual evita que as mulheres se desloquem até o mamógrafo móvel, correndo o risco de não fazer o exame, uma vez tendo esgotado a cota de 50 mamografias/dia.
É preciso deixar claro que a função da unidade móvel não se restringe apenas à realização dos exames. Mais que isso, o serviço tem também como objetivo criar oportunidades para a conscientização das mulheres sobre a importância em se fazer o exame preventivo. Para isso, é necessária a mobilização da sociedade, o que inclui a participação de parceiros, como imprensa, comércio, indústria, escolas, entidades religiosas e esportivas, entre outras. (...)


 Mabelle de Barros Leite Nogueira
Superintendente Regional de Saúde - SRS Varginha - Tel: (35)3219-2307
Email: mabelle.nogueira@saude.mg.gov.br
Tânia Corrêa Machado  - Assessoria de Comunicação Social  - Fone: 3219 2333
Skype: tania.cm1 - E-mail: acs.var@saude.mg.gov.br
Superintendência Regional de Saúde de Varginha

terça-feira, 21 de outubro de 2014

ACIDENTE NA FERNÃO DIAS MATA TRÊS MILITARES DO EXÉRCITO E FERE 21

Enzo Menezes, do R7, com Record Minas


O motorista teria perdido o controle da direção sob pista molhada e capotou na BR-381, na altura do km 765, entre as cidades de Três Corações e Campanha.
Dois morreram no local - um deles estava na cabine e outro na carroceria. 
No início da noite, o Exército confirmou a terceira morte - um militar que chegou a ser levado para o hospital. Dois estão internados em estado grave em Lavras e Varginha.
O veículo transportava o Grupo de Artilharia de Campanha de Jundiaí (SP) para a Escola de Sargentos das Armas em Três Corações. A identificação das vítimas ainda não foi divulgada.
O tombamento provocou outro acidente com veículo das Forças Armadas. Um caminhão carregado com papel higiênico que passava em seguida freou para evitar nova colisão e foi atingido por outro caminhão do Exército. Ninguém ficou ferido nesta batida, apesar do derramamento de parte da carga.
As pistas no sentido Belo Horizonte estão interditadas e há congestionamento de 8 km. No sentido São Paulo, há uma pista fechada para o socorro, o que provoca lentidão de 1 km, segundo a Autopista Fernão Dias.
Agentes da PRF (Polícia Rodoviária Federal) e do Corpo de Bombeiros atuam na ocorrência.

TRÊS CORAÇÕES: VEREADOR QUATI É OUVIDO NA PF SOB SUSPEITA DE COMPRAR VOTOS

Quati na PF em Varginha
Fabiano Barbosa, o Quati, teve nome citado em gravação telefônica. Ele é investigado junto com outros políticos de Três Corações, MG.
O vereador de Três Corações (MG) Fabiano Barbosa, conhecido como Quati, prestou depoimento na delegacia da Polícia Federal em Varginha (MG) nesta terça-feira (21). Ele é investigado junto com outros políticos da cidade pela operação 299, que apura a possível compra de votos durante a campanha eleitoral de 2012 que elegeu prefeito e vereadores.
Quati chegou por volta das 14h30 na delegacia da PF. O político negou envolvimento com o esquema de compra de votos nas últimas eleições municipais. Ele foi o vereador mais votado nas eleições e teve o nome citado em uma gravação telefônica que a EPTV Sul de Minas teve acesso.
A conversa é entre o ex -vice prefeito Sérgio Hauad e eleitores. O diálogo é sobre um suposto esquema da compra de votos (leia parte da conversa abaixo).
Eleitora: Oi.
Sérgio Auad: Jóia?
Eleitora: Tudo bem...
Sérgio: 'Tô' mandando uma areia 'proceis', que o Quati me pediu, viu?
Eleitora: Ah...'tá' jóia. 'Brigadão'...
Sérgio: Ajuda 'nóis'. Se não chegar hoje, chega amanhã, viu? Já 'tá na lista aqui'.
Eleitora: Ah, então 'tá bão'. Pode deixar. Vou arrumar voto com meu pai, com a minha sogra.
Sérgio: 'Tô' sendo firme com você.
Eleitora: Ahã.
Sérgio: Conto 'coceis'..
Eleitora: Tão tá bão'. Muito obrigada, viu?
Sérgio: Abraço! 'Fica' com Deus!"
(fonte G1)

AÉCIO CONTESTA DATAFOLHA E LEMBRA 'ERRO' NO 1º TURNO

Marcos Fernandes/Divulgação
Aécio contesta Datafolha e lembra 'erro' no 1º turno
O candidato à Presidência da República pela Coligação Muda Brasil, Aécio Neves
O candidato do PSDB à Presidência, Aécio Neves, contestou os resultados da última pesquisa Datafolha - que mostram Dilma Rousseff com 52% dos votos válidos e Aécio com 48%, no limite do empate técnico.
Em coletiva de imprensa em Campo Grande, o tucano lembrou os números do primeiro turno o colocavam em terceiro lugar ao longo da disputa eleitoral. "Os institutos de pesquisas estão devendo explicações desde o primeiro turno. Os erros foram grosseiros em toda parte", afirmou. "Se o resultado é esse, em comparação com o primeiro turno, considero que o Datafolha me coloca como próximo presidente da República".
Segundo o candidato, o PSDB tem feito várias pesquisas internas que apontam uma vantagem dele sobre Dilma Rousseff (PT) fora da margem de erro.
Questionado sobre o depoimento de Leonardo Meirelles, suposto laranja de Alberto Youssef que apontou a participação de outros parlamentares do PSDB no esquema do doleiro, além do ex-presidente Sérgio Guerra. "Se houver amanhã efetivamente alguém do PSDB que tenha cometido alguma ilicitude, tem que responder por ela", afirmou.
Aécio também foi perguntado, durante coletiva, sobre o problema hídrico de São Paulo. Ele voltou a dizer que, se o governador do Estado, Geraldo Alckmin (PSDB), tivesse tido uma parceria maior do governo federal, os resultados teriam sido melhores.
Ao lado de dirigentes locais, Aécio prometeu que seu primeiro ato, caso eleito, será concluir as obras do Hospital do Trauma na cidade.

A DANÇA DOS NÚMEROS: PESQUISA VÉRITAS APONTA AÉCIO COM 53,2% E DILMA COM 46,8%

O levantamento foi feito em todos os estados brasileiros pelo Instituto Veritá
Nova pesquisa do Instituto Veritá divulgada nesta terça-feira mostra o candidato pelo PSDB, Aécio Neves, com 53,2% dos votos válidos, contra 46,8% da presidente Dilma Rousseff (PT), que concorre à reeleição. O levantamento foi feito entre os dias 17 e 20 de outubro. A margem de erro é de 1,4 pontos percentuais, para mais ou para menos. 
Se forem levados em conta os votos totais, o tucano tem 47% e a petista 41,4% das intenções de voto. Nesse caso, são considerados os números de eleitores indecisos, que na pesquisa somam 7,8%. Já o percentual dos que pretendem anular ou votar em branco é de 3,7%. 
O Instituto Veritá ouviu 7.700 eleitores em 213 cidades de todos os estados do país. A pesquisa foi registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) com o número 01144/2014. O nível de confiança do levantamento é de 95%.

CALDEIRA EXPLODE EM EMPRESA DE MEDICAMENTOS DE POUSO ALEGRE

Uma caldeira explodiu e deixou feridos no início da manhã desta terça-feira (21) na empresa Cimed Medicamentos, em Pouso Alegre (MG). Segundo as primeiras informações do Corpo de Bombeiros, após a explosão, o fogo atingiu várias partes da empresa.
Completando: A explosão deixou 26 pessoas feridas, sendo três com ferimentos graves. Pelo menos uma pessoa foi socorrida em estado crítico, com cerca de 90% do corpo queimado. Segundo o Corpo de Bombeiros, após a explosão, parte de um galpão desmoronou. Os feridos foram levados para o Hospital Samuel Libânio.
Ainda segundo a assessoria do hospital, são três vítimas em estado grave e que estão na UTI. Carlos Israel dos Santos Souza teve queimaduras em 90% do corpo, Jalber Mendes das Chagas sofreu um corte profundo na cabeça, na região da testa e dos olhos e Gilmar Pereira de Oliveira inalou muita fumaça. As outras 23 pessoas seguem em observação.

SILAS MALAFAIA: PARA AS MULHERES -O DIABO INVENTOU A MENTIRA, DILMA E O PT A APERFEIÇOARAM

DATAFOLHA: DADOS DA PESQUISA (1)


CÂMARA MUNICIPAL DE TRÊS CORAÇÕES FAZ SUA ADESÃO À INEXIGIBILIDADE EM LICITAÇÃO

Olha a Regina aqui outra vez
A "doença" da inexigibilidade e dispensa de licitação chegou também à Câmara Municipal de Três Corações. Doravante a população não mais verá processos licitatórios como o abaixo registrado, que estão encoberto sob o manto da inexigibilidade.

Aliás, um velho amigo meu, o Malatesta, anarquista como todo bom italiano, ao ver as aquisições de ótima qualidade, segundo consta na homologação, comentou daquele jeito napolitano, falando alto e gesticulando de forma exagerada, mas deu para entender: "acho que vão chamar as crianças do Brejinho, Cinturão Verde mostrando que isso existe na mesa do trabalhador brasileiro".
É, pensei com os meus botões - O velho Malatesta está certo, a inexigibilidade é para esconder uma vergonha...

Adicionar legenda

TRÊS CORAÇÕES E AS LICITAÇÕES DA CÂMARA DOS VEREADORES

Presidente Regina do Nilo
Bem leitores e amigos deste Blog. Ainda em relação à notícia da Blitz ocorrida em São Lourenço onde um carro da Câmara Municipal de Três Corações foi parado, muitos perguntam o que fazia naquela cidade o veiculo do legislativo, e porquê o Cleiton -que não é o motorista da Casa, onde é diretor ou chefe de departamento- o estava conduzindo?
Um anônimo falou na Gráfica Novo Mundo, daquela cidade. Outro falou no Jornal Panorama, de Baependi, que ganhou recentemente uma licitação onde se licitava em jornal local (SIC) para publicar atos da Câmara Municipal de Três Corações. Alias, essa licitação é sui generis, o Edital foi feito de uma forma e depois mudado a pedido do Jornal Panorama. Falar que o jornal Panorama é jornal local (é mais um dinheiro que vai embora da cidade) ai é forçar a barra, isso sem discutir o bom trabalho que o jornal presta como informativo dos poderes executivo e legislativo da região.
Bem, depois dos comentários sugiro que voltem a verificar as licitações daquela Casa.

segunda-feira, 20 de outubro de 2014

DATAFOLHA: DILMA APARECE PELA PRIMEIRA VEZ À FRENTE DE AÉCIO.

No entanto, os dois seguem tecnicamente empatados. Dos votos válidos, a presidente aparece com 52%, contra 48% de Aécio. A margem de erro é de dois pontos percentuais.
O Datafolha ouviu 4.389 eleitores no dias 20 de outubro. A margem de erro é de dois pontos percentuais para mais ou para menos. O nível de confiança é de 95%. Isso significa que, se forem realizados 100 levantamentos, em 95 deles os resultados estariam dentro da margem de erro de dois pontos prevista. A pesquisa está registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob o número BR-01140/2014.


DO GRUPO DE LÍDERES QUE AJUDOU DILMA NA RETA FINAL EM 2010, SOBRARAM APENAS EDIR MACEDO E MANOEL FERREIRA

O candidato do PSDB à Presidência, Aécio Neves, conseguiu atrair o apoio da maioria das igrejas evangélicas e de entidades como a Convenção Geral das Assembleias de Deus e a Confederação Nacional dos Conselhos de Pastores do Brasil (Concepab). No primeiro turno, evangélicos, em sua maior parte, se engajaram nas campanhas dos presidenciáveis Pastor Everaldo (PSC) e Marina Silva (PSB). Na eleição de 2010, temas como o aborto e o casamento gay foram explorados com muito mais intensidade na campanha. A candidataDilma Rousseff (PT) foi duramente criticada por, supostamente, apoiar essas propostas. Estavam contra ela as igrejas pentecostais e católicos considerados conservadores. Na reta final da campanha, no entanto, quatro líderes evangélicos deram apoio a Dilma.
Pastor Everaldo declara apoio ao tucano Aécio Neves no segundo turno das eleições
Defenderam a petista em seus templos o bispo Edir Macedo, da Universal do Reino de Deus; o senador Magno Malta (PR-ES), da Igreja Batista; o pastor Manoel Ferreira, da Assembleia de Deus ramo Madureira; e o bispo Robson Rodovalho, da Igreja Sara Nossa Terra. Os quatro acreditam ter “feito a diferença” na votação final. "Não fosse esse apoio, dificilmente ela ganharia", diz o bispo Rodovalho. Do grupo dos evangélicos fieis a Dilma, agora, sobraram apenas a Universal e o ramo Madureira da Assembleia. Ainda assim com ressalvas. A Universal não declarou apoio oficialmente. O pastor Ferreira, suplente na chapa derrotada do petista Geraldo Magela ao Senado, no Distrito Federal, talvez não consiga levar todo o seu rebanho para a petista. Seguidores da sua igreja dizem que ele apoia Dilma, mas a maioria dos fieis não pretende seguir sua recomendação.
Bancada do apóstolo
Seguindo os passos da Universal do Reino de Deus, o apóstolo Valdemiro Santiago, da Igreja Mundial do Poder de Deus, também montou sua bancada de deputados. A igreja levou para para a Câmara José Olímpio (PP-SP), Francisco Floriano (PR-RJ), Valdir Maranhão (PP-MA), Eduardo Afonso (PP-PE) e Iracema Portela (PP-PI). Também elegeu os deputados estaduais Rodrigo Moraes (PSC), em São Paulo; Ricardo Arruda (PSC), no Paraná; Marcio Santiago (PTB), em Minas Gerais; Missionário Volnei (PR), no Rio Grande do Sul; Milton Rangel (PSD), no Rio de Janeiro; e Cabo Campos (PP), no Maranhão. A Mundial apoiou o candidato à reeleição ao governo Geraldo Alckmin (PSDB) em São Paulo e está com Pezão (PMDB), no Rio.
Fervor na campanha
A Igreja Mundial não declarou apoio oficialmente a Aécio Neves, mas é simpática à candidatura tucana. O apóstolo Valdemiro, no entanto, se engajou fervorosamente na campanha em favor de Pezão ao governo do Rio, a fim de combater Marcelo Crivella, que é bispo da Universal e sobrinho de seu desafeto Edir Macedo.